Unidade I: Rua Bela Cintra, 968 (Av. Paulista) São Paulo / Unidade II: Rua Frei Caneca, 33 - Centro, São Paulo / Fone central: (11) 3262-0621

Controlar a ansiedade

AddThis Social Bookmark Button
Como controlar uma crise de ansiedade?
Tive um acidente de carro e passei muito perto da morte . Não consigo dormir, comer e perco o controle, fico inquieto e nervoso e fadigado, fico tão nervoso que até brigo. Sempre sonho com esse acidente, por quê?
PSICÓLOGO :   Você sonha com o acidente porque ele foi emocionalmente marcante. Todas as coisas muito ruins ou muito boas ficam marcadas em nossa psiquê – infelizmente as ruins marcam mais do que as boas. Comece com respiração lenta, profunda e diafragmática, ou seja, respire inflando o abdômen, e não o peito, faça isso várias vezes por dia. Este é o primeiro passo, não eliminará a ansiedade mas você estará começando a controlá-la, pois com um corpo tranqüilo – pela respiração – impossível ter uma mente ansiosa.
Outra opção é trabalhar a carga emocional deste acidente. Através das técnicas da terapia do esquema nós damos oportunidade ao paciente a reviver o acontecido traumático mas agora com outra resposta, mais adequada, assertiva e confortável – isto lhe imprime uma nova vivência, agora mais positiva e não traumática.
Quando a causa da ansiedade não está bem definida como neste caso o controle será feito através da compreensão das causas e da mudança nos padrões de pensamento. Muitas vezes a pessoa se sente agitada, "uma pilha de nervos" mas simplesmente não identifica nada que possa ter sido o gatilho deste estado mas, com certeza este gatilho existe. Pode ser dificuldade de relacionamento com alguém da família ou trabalho, medos internos, necessidade de mais compreensão e compartilhamento - apenas alguns exemplos. Estas dificuldades devem ser superadas através de aprendizados de novos comportamentos ou enfrentamentos.
OUTRAS PERGUNTAS REFERENTES AO TEMA: ANSIEDADE
Como Acabar com as tonturas causadas pela a ansiedade sem o uso de medicamentos?
Sinto muitas tonturas durante o decorrer do dia devido a problemas de ansiedade generalizada e gostaria de saber como acabar com ela sem o uso de medicamentos, usando formas mais simples e naturais.
PSICÓLOGO : A tontura aparece porque você hiperventila sem perceber. Ou seja, você respira errado.
O que fazer: Treine respiração profunda, lenta e abdominalmente. Respire inflando a barriga e não o peito. Faça isso todos os dias por 15 min. E também durante o dia uma ou duas respiradas para que se torne um novo habito.
Este treino de respiração te ajuda a controlar a resposta de seu corpo à ansiedade. Para trabalhar a mente você pode aplicar o processo de Reestruturação Cognitiva, ou seja, identifique os pensamentos que lhe deixam ansiosa – lembre-se o que te deixa ansiosa são os pensamentos automáticos - http://www.marisapsicologa.com.br/Pensamento_automatico - e flexibilize-os, encontre outras formas de encarar estas mesmas situações de vida.
Às vezes minha pressão abaixa. Isso pode ser nervosismo?
Fico nervosa com tudo. Há um mês tive uma crise nervosa, será que a queda de pressão pode ser causada por isso!
PSICÓLOGO :   Pode ser  uma via de mão dupla, ou seja, sua pressão abaixa por ter ficado nervosa (ansiosa, na linguagem psicológica), mas pelo fato da pressão ter abaixado (hipoglicemia, calor, levantou rápido demais, etc.) você também pode ficar ansiosa. A questão é descobrir o que aconteceu primeiro.
Qual o melhor remédio pra controlar ansiedade crônica?
PSICÓLOGO :   Psicoterapia. Procure um psicólogo. Ansiedade é sua cabeça preocupada com o que poderá acontecer de ruim, coisa que a maior parte das vezes é desnecessária, pois não acontecem tantas coisas ruins assim como o ansioso acredita. Ansiedade é medo, é preocupação, é previsão de catástrofes (que na realidade são muito pouco prováveis).Por isso o melhor remédio é você aprender a lidar com essa cabeça que se preocupa desnecessariamente.
Meu pai pode ser a origem de minha ansiedade e baixa auto-estima
Meu pai me batia muito e falava que eu era um merda e não iria ser um nada na vida, tenho 36 anos, casado tenho problemas com ansiedade forte, auto-estima, e já mudei de emprego milhares de vezes, não consigo me relacionar com pessoas, tenho medo, e estou sofrendo muito há anos e anos.
PSICÓLOGO : Está muito claro que pra mim seu caso é para terapia. Você já identifica a origem dessa baixa auto-estima, você faz a conexão deste pai que te rebaixava com seu momento atual complicado. É preciso "limpar" essas informações que você introjetou a seu respeito. Precisamos lhe dar oportunidade de reconstruir as informações que você foi absorvendo a seu próprio respeito.
Medo de dirigir
Há 01 ano tirei minha habilitação, era o grande sonho da minha vida. Fui reprovada 06 x por causa da ansiedade,na família todos riam de mim diziam que eu não iria conseguir,mas provei que eu era capaz.Foi ai que meu medo e ansiedade voltaram com força total,porque cada vez que eu entrava em um coletivo na pista eu me imaginava dirigindo eu pensava: será que eu consigo dirigir na pista
PSICÓLOGO :   Todo medo que paralisa é irracional, e não dá mesmo pra saber - por equanto -  do que você tem medo. Seria medo de morrer? Impossível, não é lógico ter medo de morrer ao dirigir um carro, mas o medo é mesmo assim, serve pra nos proteger, mas às vezes se torna tão desproporcional que acaba sendo ilógico e nos atacando. Você já aprendeu que o enfrentamento é o melhor remédio contra o medo, pois cada vez que a gente enfrenta nos damos a oportunidade de perceber na pele o quanto aquele medo era desnecessário.
Só te digo uma coisa... Vencer sozinha é ótimo, mas não descarte a possibilidade de receber uma ajuda profissional, pode ficar até mais barato, pense em todas as taxas e desgaste que você já passou só em refazer tantas vezes  esta prova.
Não agüento mais o que faço .
Estou vivendo um momento de muita ansiedade, impaciência, já me acho muito velho com 36 anos, já mudei de emprego mais de 30 vezes, estou deprimido não consigo me achar!!!Estou deprimido por não ter me formado e não ter conseguido nada na vida, carro, casa, formação, queri a ser feliz.
PSICÓLOGO :   Guarde esta frase: “Trabalhar no que se gosta, é uma benção. Gostar de seu trabalho é uma arte".
Você não está sozinho. Não é possível que toda a humanidade esteja plenamente realizada com o trabalho que exerce e que sempre foi o sonho de infância.
Mas, creio que é possível desenvolver prazer pelo trabalho no qual nos encontramos, seja lá ele qual for.
Quer uma dica? Levante todas as suas percepções em relação ao eu trabalho. Escreva numa folha tudo o que você pensa sobre este seu cargo de promotor de vendas.
Depois veja quais colocações são puramente emocionais e quais são concretas.
Reveja cada uma das colocações e mude a forma de ver de cada aspecto.
Faça também uma lista de todos os pontos positivos deste seu atual trabalho, mesmo que pareça banal anote, por exemplo... É perto de casa.
Meu marido foi orientado a tratar sua ansiedade, mas não sabemos ao certo o que é, então como tratar?
PSICÓLOGO :   A ansiedade pode aparecer com algumas "roupagens" diferentes.
Pode ser sentida como: Apreensão, preocupação, medo, pânico, fobias, inquietação, agitação, etc.
Quem pode diagnosticar se isso que se passa com seu marido é ansiedade é apenas o psicólogo ou psiquiatra.
Se você me contar um pouco o que se passa com ele, quem sabe posso te ajudar um pouquinho mais.
Marisa, conversei com meu marido e li para ele essas sensações que você deu como exemplo, ele acha que o que se encaixa mais com o que ele sente é “apreensão” qdo ele tem algo para resolver quer que a coisa se resolva logo, quer ver logo o resultado, mas à medida que conversa com as pessoas envolvidas vai se acalmando, se tranquilizando, mesmo que as coisas não se resolvam naquela hora ele já está aliviado, sabe que tudo vai depender dos documentos que precisa levantar ou mesmo atitudes já definida que tem que tomar. Espero que assim você tenha uma idéia melhor do que se passa com ele. Será ansiedade mesmo, tem tratamento, como posso ajudá-lo? Agradeço a atenção.
PSICÓLOGO : Sim. Está claro que ele é ansioso, e mais claro ainda como essa ansiedade é "cognitiva", ou seja, iniciada e acalmada por pensamentos.
Veja bem, da mesma forma que ao conversar com pessoas, identificando os pontos obscuros dos problemas que ele tem para resolver, ele se acalma, com certeza o que o deixa apreensivo são também algumas "conversas".
Talvez essas conversas que o deixam preocupado não sejam nem com outras pessoas, pode ser um dialogo interno. Talvez ele fique dizendo para ele mesmo: "Não vai dar certo, vou ter um trabalhão, no final vou perder tudo" (por exemplo).
Essa conversa interna muitas vezes não é percebida. Ele faz isso de forma tão fugaz que nem percebe.
Uma terapia o ajuda a identificar essas conversas e aprender a conversar melhor consigo mesmo de forma que não precise de outras pessoas para acalmá-lo. Ele mesmo será controlado. E terá as conversas com outras pessoas para trocar opiniões, e crescer como ser humano, e não só para ser acalmado.

ansiedade

A ansiedade pode nos perseguir no dia a dia. Principalmente aqueles que moram em grandes cidades podem sentir uma pressão para fazer mais, produzir mais, ir mais rápido, ser mais produtivo, mais atencioso, fazer com que tudo dê certo sempre.

A ansiedade em pequenas doses pode nos motivar ao progresso pessoal e profissional. Em pequenas doses a ansiedade nos deixa feliz pela proximidade do aniversário, por exemplo. Nos ajuda no preparo para uma prova. Desta ansiedade não precisamos tratar aqui. Vamos falar da ansiedade que paralisa e não permite progresso pessoal, profissional, emocional, etc.

A ansiedade costuma ter um componente de medo. Por exemplo, ansiedade em fazer contato com um cliente pode embutir o medo de não ser bem sucedido com este cliente. Ansiedade em paquerar pode ser composta pelo medo da rejeição.

Ansiedade muitas vezes parece que não tem causa, percebida logo ao se levantar da cama, muitas vezes nem identifica-se qual situação daquele dia está causando ansiedade, parece algo difuso, uma análise objetiva não identificaria nada que poderia provocar medo, poderia ter algo como uma voz interior dizendo: “Ai meu Deus, hoje vai ser terrível, nem sei o que pode acontecer mas sinto que o dia não será bomr”.

A ansiedade pode ser vista como uma expectativa de problemas que muitas vezes não vem acompanhada da possibilidade real de problemas.

Considero adequado uma pessoa ficar nervosa e ansiosa diante de algo confirmadamente desagradável. Falamos de ansiedade patológica, a que deve ser tratada, quando  surge mesmo em situações nas quais não há um perigo real, mas ainda assim há uma sensação de que você não dará conta ou que será muito complicado  lidar com o que está por acontecer, ou que está acontecendo.

 

Controlar a ansiedade

Ansiedade pode ser visto como um distúrbio do pensamento, pode ser o resultado de projeções catastróficas sem fundamento. Uma vez que são seus pensamentos que fazem com que você fique ansioso há alguns caminhos para tentar controlar esta ansiedade:

- Aprender a “negociar” com seus pensamentos. Não aceitar logo de cara todo e qualquer pensamento que surgir. Normalmente não questionamos nosso próprio pensamento, aceitamos que se algo veio à nossa mente então essa ideia deve ser considerada. Pode ser interessante questionar  os pensamentos que te deixam ansioso. Identificar qual o medo que está por trás desta ansiedade – muitas vezes este é um trabalho pode ser difícil e nem tão rápido quanto gostaríamos, pois se este medo fosse tão superficial você já o teria controlado. Muitas vezes este medo está escondido atrás de muitos argumentos que  arrumamos para dar validade ao medo.

- identificar quando estes pensamentos e medos tiveram origem. É possível que coisas aconteceram em sua vida que deixaram marcas. É possível que você tenha assistido pessoas queridas passarem por situações que impressionaram. É possível que você tenha ouvido estórias e as assumiu como verdadeiras e muito possíveis de também acontecer contigo. Mas também é possível que tudo isso nem esteja mais à superfície e você precise de ajuda para identificar os pensamentos que já caíram no esquecimento mas ainda o influenciam.

- Em alguns casos pode ser interessante um novo plano de atuação, elaborar novas formas de pensar, pois depois que eliminou uma serie de informações distorcidas que vinha carregando pode ser necessário que novas informações, mais verdadeiras e sensatas, ocupem o lugar.

 

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia  ou psicoterapia  oferecida por um psicólogo

Marisa de Abreu Alves Psicóloga - CRP 06/29493-5

 

 

agende sua comsulta Escolha aqui seu Psicologo
Quanto custa a psicoterapia e informações gerais


Consulta com psicólogo - Agende aqui


*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.

Perguntas Frequentes

Agende uma Consulta

marcar_consulta

Cómo chegar

Unidade I: Rua Bela Cintra, 968, São Paulo ( Veja o mapa )

Unidade II: Rua Frei Caneca, 33, São Paulo ( Veja o mapa )

Fone central: (11) 3262-0621

Compartilhe!