Unidade I: Rua Bela Cintra, 968 (Av. Paulista) São Paulo / Unidade II: Rua Frei Caneca, 33 - Centro, São Paulo / Fone central: (11) 3262-0621

Aprenda a dizer NÃO

AddThis Social Bookmark Button
Não diga SIM quando quer dizer NÃO
É muito importante que você consiga ser coerente com seus valores. Não é não. Sim é sim. Não seja cruel consigo mesmo e nem engane as pessoas dizendo “sim” quando seu sentimento está para “não”, no fundo você está se enganando. Você acaba se confundindo e nem você sabe o que quer. Muita gente tem essa dificuldade, concordam quando queriam discordar. Em psicologia a gente diz que estas pessoas têm dificuldade de auto-afirmação.
Em que situações as pessoas demonstram essa dificuldade de auto-afirmação?
- Comprar coisas que não quer porque não consegue falar NÃO para o vendedor.
- Não conseguir provar uma roupa e sair da loja sem comprar.
- Não devolver produtos adquiridos com defeitos.
- No cinema não é capaz de pedir para as pessoas respeitarem seu espaço, e engole aquele chato que fica batendo na sua cadeira ou falando alto.
- Amigos pedem coisas inadmissíveis, e para não perder o amigo, para não se indispor,  você acaba fazendo coisas ridículas como, por exemplo, ir à casa da ex deste amigo  pedir um disco de volta, coisa que você sabe que não devia fazer, que não quer fazer mas não consegue falar NÃO.
- Não recusar convites do chefe, de festinhas chatas, que você só vai para marcar presença, mas ele nem percebe que você esteve lá, e você não conseguiu dizer NÃO.
- Deixar que furem a fila na sua frente.
Ou seja, você “engole sapos” porque não consegue se colocar.
Porque tem gente que não fala NÃO nem quando está sendo prejudicado?
Porque têm dificuldade em assumir o que pensa. O medo de ser mal compreendido é maior do que se defender. O medo de ser rejeitado pesa muito mais do que deveria. Medo de ser criticado, de não agradar. Tem gente que assume compromissos com quem não tem a menor afinidade só por medo de ficar sozinho, ou de magoar os outros.
No fundo o medo maior é da pessoa ser vista pelo outro como sem graça, como desinteressante. É a necessidade de agradar.
Essas pessoas não estão percebendo o mal que estão fazendo para si mesmas, ou até percebem, mas simplesmente continuam assim porque não sabem como mudar.
É por isso que eu gosto da linha da terapia comportamental. Porque é uma terapia prática. O psicólogo te “treina” literalmente para você ter novos comportamentos. Você precisa de treino para se colocar no mundo de uma forma mais objetiva e mais saudável.
Enquanto a pessoa não mudar ela vai achar que ela tem que dizer sempre SIM, pois ela pensa que isso garante que nunca será criticada por ninguém, pensa que terá aprovação sempre. Mas a gente sabe que isso é mentira. No fundo, o mundo não recebe bem aquele que diz “amém” para tudo.
Quem gosta de pessoas que não sabem dizer NÃO?
Só os aproveitadores gostam. Mas quem quer um aproveitador na sua vida? Quem tem essa dificuldade de auto-afirmação, não consegue perceber que ela pode dizer NÃO e ainda assim ser admirada pelo outro. Ela acha que é tudo ou nada. Se ela se negar a fazer um favor para o outro esse outro vai riscá-la do mapa. É por isso que essa pessoa precisa de um novo aprendizado. Precisa de orientação e mudar essa atitude.
Tem a ver com auto-estima?
Totalmente. Quando você concorda com o outro “só da boca pra fora” você se corrói por dentro. Ela abre mão de suas vontades e ainda por cima joga a responsabilidade no outro. Acha que os outros são extremamente exigentes, críticos, e injustos, mas muitas vezes é ela que é exigente com ela mesma, e não se permite um pouco de flexibilidade. No fundo esse comportamento de dizer SIM quando quer dizer NÃO é auto-proteção. A pessoa crê que está se defendendo de um mundo exigente. Mas vai ter uma hora em que ela vai perceber que ninguém consegue agradar a todo mundo o tempo todo, ninguém consegue. É nessa hora que a pessoa precisa de apoio, porque quando ela descobre que é impossível agradar a todo mundo o tempo todo ela cai em depressão, se desespera, tem crises de ansiedade, pode até desenvolver uma síndrome do pânico.
Esse é um excelente momento para buscar orientação. Você pode aproveitar essa chance, que é quando você se dá conta que não tem o poder de controlar a opinião do outro, não tem como controlar a reação do outro. Esse momento é importante, porque ou você se desespera com isso porque agora você vê que não dá para agradar a todo mundo ou você aprende que ouvir críticas pode não ser tão destruidor assim.
Perceba que os outros também não vão ser agradáveis o tempo todo, e tudo bem, não precisa.
Você tem o direito de ser afirmativo,  olhar nos olhos da outra pessoa e dizer “Não gostei do que você fez, por favor, não faça mais”. Veja que isso não é o fim do mundo. Ao contrário, isso resolve muita amargura guardada em um cantinho de sua mente.
Falar ou ouvir a palavra “não” é saudável e natural. Quando perceber isso você passa a ter mais disposição para cuidar de você mesmo.
Essa compreensão faz parte do processo de abandonar a meta impossível: de “ser perfeito”. Diga “sim” só quando você quer dizer “sim”. Porque é impossível agradar a todo mundo o tempo todo e você não precisa sentir culpa por isso. Medo de errar gera mais medo, e quanto mais medo... menos coisas você faz para sua própria realização.
Você tem que ter coragem para tentar acertar, isso te motiva para agir e atingir suas metas. Mas percebam que eu o termo “Tentar”. Se você perceber que você não é obrigado a acertar, você fica mais livre para continuar tentando, e com mais tentativas mais chance de acertos.
Pelé, nosso “rei” deu um belo exemplo, disse que só conseguiu fazer mais de 1280 gols porque  se permitiu errar milhares de vezes.
Não tenha vergonha dos seus sintomas, eu tenho 20 anos de experiência e sei que aquele problema que você acha que só você tem, na verdade acaba sendo muito mais comum do que você imagina. O importante é que você se trate e se sinta bem, realizado, tranqüilo e feliz! Conte com um psicólogo para aprender a falar 'não" na hora e do jeito certo.
É muito importante que você consiga ser coerente com seus valores. Não é não. Sim é sim.
Não seja cruel consigo mesmo e nem engane as pessoas dizendo “sim” quando seu sentimento está para “não”, no fundo você está se enganando. Você acaba se confundindo e nem você sabe o que quer. Muita gente tem essa dificuldade, concordam quando querem discordar.
Em psicologia a gente diz que estas pessoas têm dificuldade de auto-afirmação.

Situações na quais as pessoas demonstram dificuldade de auto-afirmação

- Comprar coisas que não quer porque não consegue falar NÃO para o vendedor.
- Não conseguir provar uma roupa e sair da loja sem comprar.
- Não devolver produtos adquiridos com defeitos.
- No cinema não é capaz de pedir para as pessoas respeitarem seu espaço, e engole aquele chato que fica batendo na sua cadeira ou falando alto.
- Amigos pedem coisas inadmissíveis, e para não perder o amigo, para não se indispor,  você acaba fazendo coisas ridículas como, por exemplo, ir à casa da ex deste amigo  pedir um disco de volta, coisa que você sabe que não devia fazer, que não quer fazer mas não consegue falar NÃO.
- Não recusar convites do chefe, de festinhas chatas, que você só vai para marcar presença, mas ele nem percebe que você esteve lá, e você não conseguiu dizer NÃO.
- Deixar que furem a fila na sua frente.
Ou seja, você “engole sapos” porque não consegue se colocar.

Alguns não falam NÃO nem quando estão sendo prejudicados

É possível que estas pessoas  tenham dificuldade em assumir o que pensam. O medo de ser mal compreendido é maior do que a necessidade em se defender. O medo de ser rejeitado pesa muito mais do que deveria. Medo de ser criticado, de não agradar. Tem gente que assume compromissos com quem não tem a menor afinidade só por medo de ficar sozinho, ou de magoar os outros.
No fundo o medo maior é da pessoa ser vista pelo outro como sem graça, como desinteressante. Esta é a famosa necessidade prejudicial de agradar.
Essas pessoas não estão percebendo o mal que estão fazendo para si mesmas, ou até percebem, mas simplesmente continuam assim porque não sabem como mudar.
É por isso que eu gosto da linha da terapia comportamental. Porque é uma terapia prática. O psicólogo trabalha no sentido de “treinar” novos comportamentos. Você precisa de treino para se colocar no mundo de uma forma mais objetiva e mais saudável.
Enquanto a pessoa não mudar ela vai achar que ela tem que dizer sempre SIM, pois ela pensa que isso garante que nunca será criticada por ninguém, pensa que terá aprovação sempre. Mas a gente sabe que isso é mentira. No fundo, o mundo não recebe bem aquele que diz “amém” para tudo.

Alguém gosta de pessoas que não sabem dizer NÃO

Só os aproveitadores gostam. Mas quem quer um aproveitador na sua vida? Quem tem essa dificuldade de auto-afirmação, não consegue perceber que ela pode dizer NÃO e ainda assim ser admirada pelo outro. Ela acha que é tudo ou nada. Se ela se negar a fazer um favor para o outro esse outro vai riscá-la do mapa. É por isso que essa pessoa precisa de um novo aprendizado. Precisa de orientação e mudar essa atitude.

Dificuldade em dizer a palavra NÃO tem a ver com auto-estima

Totalmente. Quando você concorda com o outro “só da boca pra fora” você se corrói por dentro. Ela abre mão de suas vontades e ainda por cima joga a responsabilidade no outro. Acha que os outros são extremamente exigentes, críticos, e injustos, mas muitas vezes é ela que é exigente com ela mesma, e não se permite um pouco de flexibilidade. No fundo esse comportamento de dizer SIM quando quer dizer NÃO é auto-proteção. A pessoa crê que está se defendendo de um mundo exigente. Mas vai ter uma hora em que ela vai perceber que ninguém consegue agradar a todo mundo o tempo todo, ninguém consegue. É nessa hora que a pessoa precisa de apoio, porque quando ela descobre que é impossível agradar a todo mundo o tempo todo ela cai em depressão, se desespera, tem crises de ansiedade, pode até desenvolver uma síndrome do pânico.
Esse é um excelente momento para buscar orientação. Você pode aproveitar essa chance, que é quando você se dá conta que não tem o poder de controlar a opinião do outro, não tem como controlar a reação do outro. Esse momento é importante, porque ou você se desespera com isso porque agora você vê que não dá para agradar a todo mundo ou você aprende que ouvir críticas pode não ser tão destruidor assim.
Perceba que os outros também não vão ser agradáveis o tempo todo, e tudo bem, não precisa.
Você tem o direito de ser afirmativo,  olhar nos olhos da outra pessoa e dizer “Não gostei do que você fez, por favor, não faça mais”. Veja que isso não é o fim do mundo. Ao contrário, isso resolve muita amargura guardada em um cantinho de sua mente.
Falar ou ouvir a palavra “não” é saudável e natural. Quando perceber isso você passa a ter mais disposição para cuidar de você mesmo.
Essa compreensão faz parte do processo de abandonar a meta impossível: de “ser perfeito”. Diga “sim” só quando você quer dizer “sim”. Porque é impossível agradar a todo mundo o tempo todo e você não precisa sentir culpa por isso. Medo de errar gera mais medo, e quanto mais medo... menos coisas você faz para sua própria realização.
Você tem que ter coragem para tentar acertar, isso te motiva para agir e atingir suas metas. Mas percebam que eu o termo “Tentar”. Se você perceber que você não é obrigado a acertar, você fica mais livre para continuar tentando, e com mais tentativas mais chance de acertos.
Pelé, nosso “rei” deu um belo exemplo, disse que só conseguiu fazer mais de 1280 gols porque  se permitiu errar milhares de vezes.
Não tenha vergonha dos seus sintomas, eu tenho 20 anos de experiência e sei que aquele problema que você acha que só você tem, na verdade acaba sendo muito mais comum do que você imagina. O importante é que você se trate e se sinta bem, realizado, tranqüilo e feliz! Conte com um psicólogo para aprender a falar 'não" na hora e do jeito certo.

dizer nãoEntrevista cedida pela psicologa Marisa de Abreu  para o portal Minha Vida

Porque é tão difícil dizer não

Dizer “não” é importante para a saúde mental e emocional

Aprender a falar não é importantíssimo para o equilíbrio emocional de qualquer um. As pessoas que “engolem tudo” e não colocam limites às solicitações externas podem estar alimentando sua própria baixo auto estima, pois demonstram que não conseguem valorizar suas necessidades e prioridades.
As pessoas as nosso redor não tem como saber qual seria nosso limite e cabe a cada um de nós informar ao outro quando este limite chegou.

Desgaste que essa simples palavra pode trazer aos relacionamentos

As pessoas que não sabem dizer “não” sofrem caladas ou explodem em horas improprias. Ao sofrer calada há uma possibilidade maior de criar internamente um rancor contra as pessoas que a rodeia, e como este rancor não é expresso não há oportunidade de que estas pessoas mudem seu comportamento para algo que seja mais agradável para ela.
Quando a resposta é de explosão dificilmente a outra pessoa entende o porque disso, pois não foi informada pouco a pouco de que seu comportamento não estava sendo aceitável.

Relação entre o “não” e o sentimento de rejeição

Esta relação é muito grande. Na maioria das vezes a dificuldade em dizer “não” aos outros se deve justamente ao medo de ser rejeitado. Algumas pessoas mais sensíveis simplesmente não suportam a possibilidade de alguém não a aprovar, e com isso faz tudo o que o outro quer dando a falsa impressão de que está tudo bem. Esta falsa harmonia tem prazo curto e em breve há ou uma explosão ou uma retirada definitiva da presença desta pessoa contrariada que não sabe dizer “não”.

Algumas  pessoas que tem mais dificuldade do que outras em dizer “não”

A necessidade de ser aprovado pelo outro é quase parte da natureza humana. Desde os tempos primitivos esta necessidade vem se consolidando com a percepção de que sobreviverá aquele que conseguem viver em grupo.
Somos ensinados desde o berço a obedecer aos adultos  e nisso implica em não falar “não”. Mas mesmo os bebes insistem em usar o “não”, ainda bem, pois este é um treino muito bem vindo. Aquelas pessoas que são mais oprimidas em sua infância provavelmente terão mais dificuldade em falar “não” quando adultas.

Querer sempre agradar aos outros

A necessidade em agradar sempre aos outros pode dificultar muito a capacidade de dizer "não" na hora certa e da forma correta.  A dificuldade em saber se impor e valorizar suas próprias necessidades pode impedir que a pessoa bloqueie os pedidos e colocações inconvenientes  de algumas pessoas. Esta dificuldade denota uma grande insegurança que deve ser superada a fim de que se viva uma vida mais leve e harmoniosa.

Como  não se sentir mal em dizer “não”

Pode-se aprender Assertividade, esta é a arte em identificar qual a hora certa e o jeito elegante de dizer “não”. Existem alguns passos que são ensinado na psicoterapia. O aprendizado é individualizado para cada pessoa pois cada um tem seu histórico de vida e fragilidades diferentes.

Achar que o problema dos outros é mais importante ou maior do que o próprio

A baixa auto estima costuma desmerecer suas necessidades e considerar que o problema do outro e sempre mais importante.

Como  aprender a falar  “não”

O treino de assertividade é ótimo para isso:
1- Demonstre que você reconhecer sentimento, ou a posição da outra pessoa. Demonstre que você não o desmerece.
2- Coloque o seu sentimento, o seu lado da questão.
3- Feche com o que você quer que aconteça. Faça uma proposta.

Abraçar o mundo

Este caso pode ser uma problema de excesso de auto estima (e não baixa auto estima), ou seja, esta pessoa pode considerar que é mais poderosa do que  realmente seria possível e com isso tenta reunir para si um numero exagerado de atividades.

Medo de perder boas oportunidades

Algumas pessoas precisam entender que tudo na vida tem limite e na verdade as boas oportunidades são raras. O que acontece muitas vezes é que quem apresenta a “boa oportunidade” é muito bom de marketing e vende a ideia irreal fazendo com que uma pessoa com dificuldade em dizer “não” compre o que não precisa ou se comprometa com mais atividades do que seria aceitável para qualquer ser humano.

Medo de perder uma oportunidade X considerar que qualquer oportunidade pode ser válida

Estas duas características podem tem origens bem diferentes. A pessoa com medo de perder oportunidade pode ter vivido situações em sua vida onde foi traumático o fato dela não ter reagido. E uma pessoa que considera que qualquer oportunidade é algo válido pode ter sido alguém que simplesmente não aprendeu a colocar limites na própria vida.

Alguns não usam a palavra “não” por serem muito prestativas e sempre querem ajudar

A pessoa que não fala “não” pelo prazer de ser prestativa pode também ser um viciado – o que não é reconhecido pelos outros pois seus atos são percebidos como algo “do bem”, mas este exagero em ajudar a todos sem se importar com seu próprio bem estar pode sim ser reflexo do vicio pela adrenalina desfrutada a cada ato prestativo.

Medo de conflito

O medo do conflito pode ter a ver com sensação de incapacidade em lidar e ele. Esta pessoa pode aprender que tem muito mais força do que acredita e perceber que o outro nem sempre é tão invencível como ela imagina.

Medo que o outro se sinta rejeitado

Muitas vezes o medo que o outro se sinta rejeitado tem a ver com a própria incapacidade em lidar com rejeições. Quando percebemos que rejeição não mata e podemos passar por cima dela quando temos consciência do que estamos fazendo ficamos mais fortes em lidar com o sentimento de rejeição do outro.


ouvir não

Entrevista cedida pela psicologa Marisa de Abreu para Revista Capricho

 

Pessoas que não gostam de ouvir um "Não"

 

Tão importante quanto dizer "Não" é saber ouvir a palavra "Não".

 

 

Características da pessoa que não sabe ouvir um "não"

Psicóloga: Algumas vezes estas pessoas são tão mimadas que não aprenderam a ter resistência à frustração -na vida há ganhos e perdas queiramos ou não. Outras vezes há um erro de percepção onde a pessoa imagina que ao receber um "não" ela foi rejeitada como pessoa, quando

Aquele que  não quer perder nunca, em situação alguma, se frustra com qualquer negativa que levar, faz birra e logo passa a planos de vingança que só afastam as pessoas dela.

Como lidar com essas situações

Psicóloga: Aprender que cada perda significa um aprendizado a mudar de estratégia da próxima vez. Aprender a ter empatia com as pessoas e perceber que é preciso dar um pouco para ter algo em troca.

 

As pessoas que conseguem passar bem por isso...

Psicóloga: Não se incomodam se perderam hoje pois sabem que amanhaé um novo dia e sempre haverá oportunidades de novas tentativas e a cada tentativa ela fará de uma forma melhor.

Gostará de ler também:

assertividadeAssertividade

 

 

pessoas chatasComo lidar com pessoas chatas

agende sua comsulta Escolha aqui seu Psicologo
Quanto custa a psicoterapia e informações gerais


Consulta com psicólogo - Agende aqui


*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.

Dicas e Tratamentos

Agende uma Consulta

marcar_consulta

Cómo chegar

Unidade I: Rua Bela Cintra, 968, São Paulo ( Veja o mapa )

Unidade II: Rua Frei Caneca, 33, São Paulo ( Veja o mapa )

Fone central: (11) 3262-0621

Compartilhe!