Unidade I: Rua Bela Cintra, 968 (Av. Paulista) São Paulo / Unidade II: Rua Frei Caneca, 33 - Centro, São Paulo / Fone central: (11) 3262-0621

Porque o homem trai?

AddThis Social Bookmark Button
Psicólogo analisa a Traição Masculina
Entrevista sobre os personagens da novela cedida pela psicóloga Cristiane Marcelino ao Delas - IG
Personagem: André Gurgel (Lázaro Ramos) /Idade: Casa dos 30
Um designer que tem uma relação estritamente sexual com as mulheres. Extremamente autoconfiante, André é um conquistador e consegue com certa facilidade levar as mulheres que deseja para cama. Mas depois do sexo, ele as dispensa sem nenhum pudor. Geralmente, sua relação com as mulheres se resume a isso, uma única noite de sexo. André é honesto com as mulheres, não as engana, deixa claro que só quer sexo. Quando elas tentam se relacionar mais romanticamente com ele, André rechaça com grosseria e até crueldade. Profissionalmente: Designer de sucesso e muito bem remunerado, André é vaidoso e até arrogante a respeito da sua condição profissional.
1 – Como classificar esse comportamento dele com as mulheres, baseado em sexo e nenhum afeto?
A necessidade de auto afirmação faz parte da personalidade da maioria dos conquistadores compulsivos. No caso do André o fato de não dar continuidade aos romances limitando-os a uma única noite o protege de um possível envolvimento e conseqüências inerentes a qualquer relacionamento como, por exemplo, o sofrimento, a rejeição e o abandono.
2 – O fato de André ter um pai alcoólatra, que batia na mulher e o negligenciava quando criança justifica seu comportamento ou é preponderante para isso?
Filhos de pais alcoólatras tendem a ter uma auto imagem distorcida e consequentemente baixa auto estima, sob este prisma poderíamos justificar a sua necessidade de auto afirmação e a dificuldade de envolvimento emocional seria uma tentativa inconsciente de evitar uma nova perda ou abandono.
Personagem: Horácio Cortez (Herson Capri) /Idade: Entre 55 E 60 anos
Um banqueiro muito bem sucedido nos negócios, casado e pai de dois filhos adultos. Másculo e atraente, Cortez chama atenção das mulheres, inclusive as muito mais novas do que ele. Sem nenhuma culpa, trai a mulher seguidamente ao longo dos anos. Acho normal ser infiel, mas não tem acordo com a mulher sobre isso. Sexo e amor são coisas bem diferentes para ele. Com a mulher é carinhoso e atencioso, não deixa de sair com ela para se divertir e sempre janta com ela em casa. Com a amante a relação é mais sexual, demonstrando sua satisfação com presentes caros e longas estadias em hotéis luxuosos. Cuida para manter publicamente a aparência de pai de família respeitoso. A esposa sabe das traições.
Profissionalmente: A ética não está entre as suas maiores preocupações. Tem negócios escusos e se precisar se livra de problemas pagando propinas.
1-     Como explicar o comportamento desse homem que separa tão categoricamente sexo de amor?
A estratégia utilizada de forma inconsciente por Cortez para não se sentir culpado esta justamente em separar sexo de amor. Ele lida com a sua vida pessoal exatamente como lida com os seus negócios, ou melhor, baseado nos mesmos valores, não há como separar as duas coisas. A família é importante para ele uma vez que ajuda na manutenção da sua vaidade sendo esta “perfeita”, uma vez que nada esta faltando para a mesma, dinheiro, conforto, viagens e a sua presença permanente, ele julga estar exercendo o seu papel da melhor maneira segundo os seus valores. Ele trata o sexo como mais um negócio cuja moeda de troca se baseia nos presentes e hotéis de luxo com prazo definido.
2-     Que tipo de papel a esposa ocupa na cabeça desse homem, ao ponto dele achar que a traição não pode feri-la?
O foco de maior interesse para Cortez é ele mesmo, a sua arrogância e seus valores o impede de perceber o outro, no caso a esposa. A sua autoconfiança não deixa que ele perceba as suas falhas. Porém devemos nos atentar que o que permitiu que ela aceitasse estas traições foi pensar que não haveria envolvimento afetivo nas suas relações, assim ela também se utiliza da mesma estratégia de separar amor de sexo em prol de uma aparente família perfeita, um excelente pai e um bom marido. Ela ajuda na manutenção desta dinâmica.
Personagem: Léo Brandão (Gabriel Braga Nunes) /Idade: Casa dos 30 anos
Filho de um casal de classe média, Léo passa a maior parte do tempo aplicando golpes e inventando maneiras de enriquecer sem ter que trabalhar. Mesmo que pra isso tenha que prejudicar e enganar o pai e o irmão. Engana mulheres solitárias e carentes, fingindo afeto, só para pode extorquir dinheiro delas. Não tem nenhuma relação de carinho com as mulheres. Sacia seu desejo sexual contratando prostitutas, pelas quais mostra total desprezo, as tratando como objetos. A única mulher que recebe afeto dele é a mãe, que acoberta suas falcatruas.
Profissionalmente: Apesar de se achar muito esperto, Léo sempre se dá mal nos seus golpes. Não tem profissão definida.
1 – O fato de Léo parecer desprezar as mulheres e se relacionar apenas com prostitutas podem ser considerado uma psicopatia? Como explicar esse comportamento?
Na verdade o que é mais significativo no comportamento de Léo é o fato dele se relacionar com qualquer pessoa sem manifestar qualquer sentimento que não seja o de se beneficiar. Esta total ausência de “culpa” é que podemos classificar como um traço comum em casos de psicopatas.
2 – É possível que Léo mude seu comportamento em relação às mulheres? Quais os fatores ou condições para que isso aconteça?
Leo é manipulador e se utiliza da sedução para conquistar seus objetivos, nesta idade o indivíduo já tem a sua personalidade cristalizada e mudança no seu caráter é muito difícil para não dizer impossível.
Personagem: Pedro Brandão (Eriberto Leão) /Casa dos 30 anos
Piloto de avião, Pedro tem uma reviravolta na sua vida quando o avião que pilota é seqüestrado. Ele se apaixona perdidamente por Marina, uma mulher que o ajudou a solucionar o caso do seqüestro. Por ela, Pedro rompe com a noiva e acaba com um casamento que aconteceria em poucos dias. Mas num acidente de avião, a ex-noiva, que ficou transtornada com o rompimento, morre e Pedro fica paraplégico. Integro e bom caráter, ele ficado culpado em prosseguir o relacionamento com Marina depois do acidente. Profissional: O acidente gera uma série de situações que culminam com a perda da licença para pilotar de Pedro. Essa o faz se sentir humilhado, já que a profissão era um grande motivo de orgulho para ele.
1 – Pedro é orgulhoso e apesar de amar Marina, se sente humilhado pela sua atual condição física e profissional. Isso se agrava pelo fato dela ser rica. Como essas condições afetam a relação sexual e amorosa dele em relação à Marina?
O homem devido a sua natureza possui as características de provedor, cuidador e protetor. Situações que limitam o exercício de uma destas funções e no caso específico de Pedro que passou a ser dependente fez com que ele se julgue inútil e incapaz de fazer alguém feliz. A auto imagem de Pedro estava muito atrelada a sua carreira e devido ao acidente esta foi desconstruída e passou por um processo de resignificação que tem se mostrado adequada.
2 – Qual é a melhor maneira do casal superar essas diferenças? Qual a postura que os dois devem tomar para que isso aconteça?
Através da empatia, cumplicidade, compreensão e aceitação mútua é possível superar as limitações e construir uma nova história.
porque homem trai

Por que o homem trai

 

O homem trai, a mulher também. Qualquer estatística, muitas delas informais, dizem que o homem trai mais do que a mulher, mas com o decorrer do tempo a mulher vem traindo mais do que traia antigamente. Talvez este aumento de traição da parte da mulher seja devido as mudanças culturais, pois vem mudando, um pouco, a forma como a sociedade lida com uma mulher que traiu mas ainda vejo o homem sendo muito menos punido socialmente quando sua traição é descoberta.
O que faz um homem trair são questões, em parte, semelhantes as que fazem uma mulher trair: insatisfação com o relacionamento atual, necessidade de mais emoção, aparecimento de uma nova pessoa que parece satisfazer todos seus anseios ou simplesmente seguir suas vontades sem avaliar se isto afetaria outra pessoa.
Percebo que há algumas motivações que são mais características da mulher no aspecto traição, como por exemplo a traição por vingança. Em minha pratica clinica percebo muito mais mulheres saindo com outras pessoas para ferir seu atual relacionamento do que homens fazendo isso. Me parece que quando o homem trai a motivação estaria mais voltada para seu próprio prazer do que para a dor alheia.
Percebo que quando as mulheres perguntam porque seus parceiros a traíram há uma busca por motivos elaborados, questões que elas poderiam ajudar a solucionar e talvez cessar o ímpeto (de seu parceiro)  pela traição , ou explicações que as ajudem a entende-los, talvez até perdoa-los de forma mais fácil. Caso a mulher receba um histórico de sofrimento deste homem, sofrimento este que o levou a trai-la, ela teria mais facilidade em ficar em paz consigo mesma depois de ter sido traída.
Até mesmo a divisão de culpa alivia a dor da mulher que foi traída, como por exemplo no caso ela ouvir de alguém que seu namorado ou marido a traiu porque a “outra” o manipulou, se “jogou” sobre ele de forma que ficou impossível ele não sair com esta mulher. Neste caso a culpa é dela. E assim a sobrevivência a esta dor parece ser amenizada.
A grande verdade é que a pessoa traída sofre muito. Mesmo que o relacionamento já não esteja tão bom como já foi no inicio, a dor é sempre muito, mas muito forte. Esta dor dificilmente é imaginada pela pessoa que traiu, pois o traidor sempre acredita que não será descoberto. O traidor não imagina como outra pessoa iria sofrer com o fato de haver um comportamento de sua parte – como ele pode fazer algo tão interessante pode causar dor tão intensa no outro? Claro que esta inabilidade em entender a dor do outro é rapidamente superada quando ele mesmo passa para o papel de traído.
A outra verdade maior ainda é que a pessoa que trai dificilmente coloca em questão sua parceira (ou parceiro) no momento no qual decidiu sair com outra pessoa. Perceba que dificilmente há uma decisão em “trair” – a pessoa que trai decide iniciar um relacionamento com outra pessoa, mas naquele mesmo instante nem sempre a figura de seu relacionamento principal está presente em sua mente – normalmente a decisão gira em torno em ter algo ou não com esta 3ª pessoa.
Na grande maioria das traições não existem grandes explicações que ajudam a entender o porque do homem ter traído. Nem explicações que ajudem a saber se ele continuará traindo ou se foi um caso isolado.
Há um ótimo trabalho psicológico e emocional a ser feito com a pessoa que foi traída. Ela poderá entender a si mesma diante desta situação. É muito comum que a pessoa traída sinta culpa, ela pode acreditar que não foi atenciosa o suficiente e isso levou o outro a procurar fora de casa o que não encontrava dentro. Perdão, mas sempre achei esta desculpa muito fraca. Dizer que traiu porque a esposa não o satisfazia é um argumento até covarde. Vejo uma dificuldade em assumir a responsabilidade pelos seus próprios atos quando o traidor se coloca neste papel de vitima.
Em minha pratica clinica percebo que os homens traem simplesmente porque tomaram a decisão de sair com alguém mesmo que este ato pudesse contaminar seu relacionamento. Creio que a pessoa que traiu também possa se beneficiar em muito da psicoterapia para entender porque ele agiu desta forma. Foi impulso? Ele não está conseguindo controlar e se lança a prazeres imediatos em detrimento de algo maior? Ele realmente quer romper com o relacionamento atual e sem coragem de faze-lo iniciou outro em paralelo?

Entrevista sobre os personagens da novela cedida pela psicóloga ao Delas - IG
Análise de comportamento de personagens traidores nas novelas:

Personagem: André Gurgel (Lázaro Ramos) /Idade: Casa dos 30

Um designer que tem uma relação estritamente sexual com as mulheres. Extremamente autoconfiante, André é um conquistador e consegue com certa facilidade levar as mulheres que deseja para cama. Mas depois do sexo, ele as dispensa sem nenhum pudor. Geralmente, sua relação com as mulheres se resume a isso, uma única noite de sexo. André é honesto com as mulheres, não as engana, deixa claro que só quer sexo. Quando elas tentam se relacionar mais romanticamente com ele, André rechaça com grosseria e até crueldade. Profissionalmente: Designer de sucesso e muito bem remunerado, André é vaidoso e até arrogante a respeito da sua condição profissional.

1 – Como classificar esse comportamento dele com as mulheres, baseado em sexo e nenhum afeto?

A necessidade de auto afirmação faz parte da personalidade da maioria dos conquistadores compulsivos. No caso do André o fato de não dar continuidade aos romances limitando-os a uma única noite o protege de um possível envolvimento e conseqüências inerentes a qualquer relacionamento como, por exemplo, o sofrimento, a rejeição e o abandono.

2 – O fato de André ter um pai alcoólatra, que batia na mulher e o negligenciava quando criança justifica seu comportamento ou é preponderante para isso?

Filhos de pais alcoólatras tendem a ter uma auto imagem distorcida e consequentemente baixa auto estima, sob este prisma poderíamos justificar a sua necessidade de auto afirmação e a dificuldade de envolvimento emocional seria uma tentativa inconsciente de evitar uma nova perda ou abandono.

Personagem: Horácio Cortez (Herson Capri) /Idade: Entre 55 E 60 anos

Um banqueiro muito bem sucedido nos negócios, casado e pai de dois filhos adultos. Másculo e atraente, Cortez chama atenção das mulheres, inclusive as muito mais novas do que ele. Sem nenhuma culpa, trai a mulher seguidamente ao longo dos anos. Acho normal ser infiel, mas não tem acordo com a mulher sobre isso. Sexo e amor são coisas bem diferentes para ele. Com a mulher é carinhoso e atencioso, não deixa de sair com ela para se divertir e sempre janta com ela em casa. Com a amante a relação é mais sexual, demonstrando sua satisfação com presentes caros e longas estadias em hotéis luxuosos. Cuida para manter publicamente a aparência de pai de família respeitoso. A esposa sabe das traições.
Profissionalmente: A ética não está entre as suas maiores preocupações. Tem negócios escusos e se precisar se livra de problemas pagando propinas.

1-     Como explicar o comportamento desse homem que separa tão categoricamente sexo de amor?

A estratégia utilizada de forma inconsciente por Cortez para não se sentir culpado esta justamente em separar sexo de amor. Ele lida com a sua vida pessoal exatamente como lida com os seus negócios, ou melhor, baseado nos mesmos valores, não há como separar as duas coisas. A família é importante para ele uma vez que ajuda na manutenção da sua vaidade sendo esta “perfeita”, uma vez que nada esta faltando para a mesma, dinheiro, conforto, viagens e a sua presença permanente, ele julga estar exercendo o seu papel da melhor maneira segundo os seus valores. Ele trata o sexo como mais um negócio cuja moeda de troca se baseia nos presentes e hotéis de luxo com prazo definido.

2-     Que tipo de papel a esposa ocupa na cabeça desse homem, ao ponto dele achar que a traição não pode feri-la?

O foco de maior interesse para Cortez é ele mesmo, a sua arrogância e seus valores o impede de perceber o outro, no caso a esposa. A sua autoconfiança não deixa que ele perceba as suas falhas. Porém devemos nos atentar que o que permitiu que ela aceitasse estas traições foi pensar que não haveria envolvimento afetivo nas suas relações, assim ela também se utiliza da mesma estratégia de separar amor de sexo em prol de uma aparente família perfeita, um excelente pai e um bom marido. Ela ajuda na manutenção desta dinâmica.

Personagem: Léo Brandão (Gabriel Braga Nunes) /Idade: Casa dos 30 anos

Filho de um casal de classe média, Léo passa a maior parte do tempo aplicando golpes e inventando maneiras de enriquecer sem ter que trabalhar. Mesmo que pra isso tenha que prejudicar e enganar o pai e o irmão. Engana mulheres solitárias e carentes, fingindo afeto, só para pode extorquir dinheiro delas. Não tem nenhuma relação de carinho com as mulheres. Sacia seu desejo sexual contratando prostitutas, pelas quais mostra total desprezo, as tratando como objetos. A única mulher que recebe afeto dele é a mãe, que acoberta suas falcatruas.
Profissionalmente: Apesar de se achar muito esperto, Léo sempre se dá mal nos seus golpes. Não tem profissão definida.

1 – O fato de Léo parecer desprezar as mulheres e se relacionar apenas com prostitutas podem ser considerado uma psicopatia? Como explicar esse comportamento?

Na verdade o que é mais significativo no comportamento de Léo é o fato dele se relacionar com qualquer pessoa sem manifestar qualquer sentimento que não seja o de se beneficiar. Esta total ausência de “culpa” é que podemos classificar como um traço comum em casos de psicopatas.

2 – É possível que Léo mude seu comportamento em relação às mulheres? Quais os fatores ou condições para que isso aconteça?

Leo é manipulador e se utiliza da sedução para conquistar seus objetivos, nesta idade o indivíduo já tem a sua personalidade cristalizada e mudança no seu caráter é muito difícil para não dizer impossível.

Personagem: Pedro Brandão (Eriberto Leão) /Casa dos 30 anos

Piloto de avião, Pedro tem uma reviravolta na sua vida quando o avião que pilota é seqüestrado. Ele se apaixona perdidamente por Marina, uma mulher que o ajudou a solucionar o caso do seqüestro. Por ela, Pedro rompe com a noiva e acaba com um casamento que aconteceria em poucos dias. Mas num acidente de avião, a ex-noiva, que ficou transtornada com o rompimento, morre e Pedro fica paraplégico. Integro e bom caráter, ele ficado culpado em prosseguir o relacionamento com Marina depois do acidente. Profissional: O acidente gera uma série de situações que culminam com a perda da licença para pilotar de Pedro. Essa o faz se sentir humilhado, já que a profissão era um grande motivo de orgulho para ele.

1 – Pedro é orgulhoso e apesar de amar Marina, se sente humilhado pela sua atual condição física e profissional. Isso se agrava pelo fato dela ser rica. Como essas condições afetam a relação sexual e amorosa dele em relação à Marina?

O homem devido a sua natureza possui as características de provedor, cuidador e protetor. Situações que limitam o exercício de uma destas funções e no caso específico de Pedro que passou a ser dependente fez com que ele se julgue inútil e incapaz de fazer alguém feliz. A auto imagem de Pedro estava muito atrelada a sua carreira e devido ao acidente esta foi desconstruída e passou por um processo de resignificação que tem se mostrado adequada.

2 – Qual é a melhor maneira do casal superar essas diferenças? Qual a postura que os dois devem tomar para que isso aconteça?

Através da empatia, cumplicidade, compreensão e aceitação mútua é possível superar as limitações e construir uma nova história.

Gostará de ler também:

porque os homensPorque os homens... fazem estas coisas

 

 

terapia casalTerapia de casal

agende sua comsulta Escolha aqui seu Psicologo
Quanto custa a psicoterapia e informações gerais


Consulta com psicólogo - Agende aqui


*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.

Psicólogo Responde

Agende uma Consulta

marcar_consulta

Cómo chegar

Unidade I: Rua Bela Cintra, 968, São Paulo ( Veja o mapa )

Unidade II: Rua Frei Caneca, 33, São Paulo ( Veja o mapa )

Fone central: (11) 3262-0621

Compartilhe!