Como se livrar da dependência emocional?

A dependência emocional pode trazer inúmeros prejuízos para nossa vida. Não só deixamos de aproveitar oportunidades profissionais e pessoais porque nos apoiamos em outras pessoas, em outras prioridades, como também podemos criar dificuldades em diferentes dimensões da nossa vida.

A dependência emocional, inclusive, seria um dos fatores de risco para a violência doméstica.

 

Dependência emocional para a psicologia

Há controvérsias quanto ao uso do termo dependência emocional para se referir a essa condição como uma patologia psíquica.

Mesmo os manuais clínicos de referência na área se debatem sobre incluir seus sintomas e diagnóstico ou não.

Há uma teoria que nos diz que uma relação de dependência emocional pode ser definida por quatro elementos: motivacional, afetivo, comportamental e cognitivo.

O componente motivacional refere-se à necessidade de suporte, orientação e aprovação.

O componente afetivo está relacionado à ansiedade sentida pela pessoa diante de situações nas quais ela necessita agir independentemente.

O componente comportamental se refere à tendência de buscar ajuda de outros e de submissão em interações interpessoais.

E o último componente se refere à percepção do sujeito como impotente e ineficaz.

De qualquer modo, a dependência emocional envolve um apego patológico pelo parceiro numa tentativa de atender a um padrão crônico de demandas afetivas insatisfeitas.

Relacionamento dependente emocional

Num relacionamento onde há dependência emocional os parceiros podem alternar papéis de salvador, vítima e perseguidor.

O mais provável nesse tipo de relação é que haja dependência mútua entre as pessoas, por conta dos sentimentos de posse predominantes em dependentes emocionais.

E, assim, fica mais fácil perceber que a dependência mútua pode explicar a permanência do parceiro e da relação, mesmo que conflituosa.

Agendar consulta

Porque tenho dependência emocional?

A literatura especializada mostra que pessoas emocionalmente dependentes são caracterizadas por submissão, e dificuldade em tomar decisões nos relacionamentos interpessoais.

E quem sofre de dependência emocional parece manter um foco total em seus relacionamentos.

Portanto, quem sofre de dependência afetiva tende a se preocupar muito com o outro e a resolver os problemas desse outro, mesmo que isso signifique alienação e falta de cuidado consigo mesmo.

Tudo isso pode ser fruto de insegurança pessoal.

Talvez uma infância superprotegida ou que não tenha oferecido suporte adequado à criança esteja por trás de um adulto com pouca autoconfiança que se apoia desesperadamente na aprovação alheia para existir.

Cada caso é único e depende de diferentes variáveis individuais e ambientais para que possamos encontrar as causas da dependência afetiva de alguém.

Inclusive podemos olhar para nossa indústria cultural para encontrar algumas referências que parecem validar os comportamentos e pensamentos associados à dependência emocional.

Cultura da dependência emocional

Muitas vezes o modo como as relações amorosas são retratadas na mídia e na arte também podem reforçar os padrões patológicos da dependência emocional.

Assim, a cultura, muitas vezes, leva as pessoas a almejar relacionamentos dependentes, ou então, quando os vivem, acreditam que esta dependência seja “normal”.

Apesar da dependência emocional estar potencialmente associada a transtornos alimentares, transtornos ansiosos, depressão e outros problemas psíquicos, ainda há uma aura de “romantismo” nos comportamentos relacionados a ela.

Primeiros passos para lidar com dependência emocional

Reconhecer que vive um estado de dependência emocional de outra pessoa, seja um amigo, familiar, namorado ou cônjuge, é uma etapa crucial para lidar com esse quadro.

Em seguida é preciso realizar um trabalho de autoconhecimento para compreender de onde vem esse apego, essa necessidade de confirmação por outra pessoa.

Recuperar um espaço de autonomia individual onde você possa se reconhecer e acessar seus desejos e preferências é primordial para lidar com a dependência emocional.

Esse processo pode ser facilitado ou provocado por um psicólogo, que além disso, te acompanhará pelo desenvolvimento de uma nova compreensão sobre si mesmo e sua vida.

Psicologia para se livrar da dependência emocional

A psicologia pode ser uma importante aliada para se livrar da dependência emocional.

Não só porque ela oferece acolhimento e um espaço seguro e de escuta, mas porque a qualidade do serviço oferecido procura envolver as diferentes dimensões do ser humano num esforço de autodesenvolvimento e cura.

Particularmente, no caso da dependência afetiva, um psicólogo pode lidar com as características de adição da dependência emocional, e que podem tornar ainda mais difícil romper o relacionamento.

Sintomas de fissura e abstinência podem acontecer, quase como num caso de adição de uma substância psicoativa- o que dificulta a saída de um relacionamento abusivo ou pouco saudável.

Agende uma consulta e encontre ajuda profissional para lidar com dependência emocional.

Imprimir