Skip to main content

Síndrome do Pânico: o que é um ataque de pânico? Sinais e sintomas

Aprenda a identificar os sinais de um ataque de pânico e reconheça os sintomas mais comuns que uma pessoa pode apresentar

A Síndrome do Pânico é uma manifestação complexa de ansiedade que pode afetar profundamente a vida daqueles que a experimentam. No centro dessa síndrome está o ataque de pânico, um evento abrupto e avassalador que desencadeia uma cascata de sintomas físicos e emocionais intensos. Entender o que é um ataque de pânico, seus principais sintomas e o que isso significa para a saúde mental de uma pessoa, torna-se imprescindível para que esse tipo de sofrimento possa ser tratado da maneira mais efetiva possível, pois o primeiro passo para se livrar dos sintomas, é compreender os efeitos causados por eles.

Por esse motivo, neste artigo vamos examinar em detalhes o que constitui um ataque de pânico e os sinais reveladores que acompanham essa experiência debilitante.

O que leva uma pessoa a ter Síndrome do Pânico?

A Síndrome do Pânico é um tipo de transtorno de ansiedade que pode afetar pessoas de todas as idades e origens. Embora as causas exatas ainda não sejam totalmente compreendidas, existem alguns fatores que parecem desempenhar um papel importante no seu desenvolvimento.

Um dos principais fatores está relacionado ao ambiente social e familiar. Pressões da vida cotidiana, como trabalho estressante, problemas financeiros ou conflitos familiares, podem contribuir para o aumento da ansiedade e desencadear ataques de pânico. Ademais, experiências traumáticas, como abuso físico, emocional ou sexual, acidentes graves ou a perda de um ente querido, também podem desencadear o transtorno.

O modo como cada pessoa lida com o estresse e as experiências difíceis também pode influenciar o desenvolvimento da Síndrome do Pânico. Por exemplo, indivíduos que têm dificuldade em lidar com emoções intensas ou que tendem a interpretar sensações físicas como perigosas podem estar mais propensos a desenvolver o transtorno.

Outro aspecto a ser mencionado, são os padrões de comportamento aprendidos ao longo da vida, os quais também podem desempenhar um papel. Por exemplo, evitar situações que causem ansiedade pode inicialmente parecer uma estratégia de enfrentamento eficaz, mas a longo prazo, pode aumentar a sensação de medo e desencadear ataques de pânico.

O que piora a Síndrome do Pânico?

Vários fatores podem piorar a Síndrome do Pânico, tornando os sintomas mais frequentes e intensos. Alguns desses fatores incluem estresse crônico, evitação de situações que causam ansiedade, relação abusiva com substâncias como álcool, cafeína, nicotina e drogas ilícitas, padrões de pensamento negativo, isolamento social e falta de tratamento adequado.

O estresse crônico pode desencadear ou agravar ataques de pânico, enquanto a evitação de situações que causam ansiedade pode reforçar a sensação de perigo e aumentar a ansiedade a longo prazo. O consumo de substâncias pode alterar os níveis de neurotransmissores no cérebro, aumentando a ansiedade e desencadeando ataques de pânico.

Padrões de pensamento negativo, como superestimar ameaças ou subestimar a capacidade de lidar com situações difíceis, podem alimentar a ansiedade. O isolamento social pode piorar a Síndrome do Pânico ao limitar o suporte emocional e a oportunidade de praticar habilidades de enfrentamento em situações sociais.

Finalmente, a falta de tratamento adequado para a Síndrome do Pânico pode piorar os sintomas ao longo do tempo. A terapia cognitivo-comportamental e outras estratégias de gerenciamento de ansiedade são eficazes no tratamento da Síndrome do Pânico, e é importante procurar ajuda profissional se estiver enfrentando sintomas significativos.

Quais são os sintomas de uma Crise de Pânico?

Os sintomas da Síndrome do Pânico podem variar de pessoa para pessoa, mas geralmente incluem uma combinação de sintomas físicos e emocionais. Durante um episódio de Síndrome do Pânico, uma pessoa pode experimentar:

  • Palpitações ou ritmo cardíaco acelerado: Sensação de batimentos cardíacos rápidos ou fortes, muitas vezes acompanhada por uma sensação de aperto no peito.
  • Falta de ar ou sensação de sufocamento: Dificuldade em respirar profundamente, como se não houvesse ar suficiente.
  • Tremores ou tremedeira: Sensação de tremor nas mãos, pernas ou corpo.
  • Sudorese excessiva: Transpiração intensa, mesmo em situações em que não há calor excessivo.
  • Náusea ou desconforto abdominal: Sensação de mal-estar no estômago, acompanhada por uma vontade de vomitar.
  • Tontura ou sensação de desmaio: Sensação de vertigem ou instabilidade, podendo levar à sensação de desmaio iminente.
  • Calafrios ou ondas de calor: Sensações de frio ou calor repentinas, independentemente da temperatura ambiente.

Além dos sintomas físicos, os sintomas emocionais também são comuns durante um episódio de Síndrome do Pânico, e podem incluir:

  • Medo intenso ou terror: Sensação avassaladora de medo sem uma causa aparente.
  • Medo de perder o controle ou enlouquecer: Preocupação intensa de que algo terrível vai acontecer ou de que a pessoa não será capaz de controlar suas próprias ações ou pensamentos.
  • Medo de morrer: Sensação de que a morte é iminente durante o episódio de pânico.
  • Sensação de irrealidade ou desconexão do ambiente: Sentir-se separado do mundo ao redor, como se estivesse em um estado de sonho ou como se as coisas não fossem reais.

É importante ressaltar que nem todas as pessoas com Síndrome do Pânico experimentam todos esses sintomas, e a gravidade dos sintomas pode variar de leve a grave. Se alguém estiver enfrentando esses sintomas com frequência, é importante procurar ajuda para avaliação e tratamento adequados.

Agende consulta para Síndrome do Pânico

O que acontece com o corpo depois de um ataque de pânico?

Depois de um ataque de pânico, o corpo pode experimentar uma sensação de esgotamento físico e emocional. A pessoa pode se sentir exausta e emocionalmente drenada devido à intensidade do ataque de pânico. Ademais, é comum que a pessoa fique preocupada com a possibilidade de ter outro ataque de pânico e pode começar a evitar lugares ou situações onde ocorreu o ataque anteriormente. Essa preocupação persistente e o comportamento de evitação podem afetar significativamente a qualidade de vida da pessoa e interferir em suas atividades diárias.

É normal ter crise de pânico todos os dias?

Experimentar uma crise de pânico todos os dias não é considerado normal e sugere a presença de um problema de saúde mental que requer atenção. A frequência e a gravidade dos ataques de pânico podem variar de pessoa para pessoa. Algumas pessoas podem ter ataques de pânico apenas ocasionalmente, enquanto outras podem experimentá-los com mais frequência. No entanto, a ocorrência diária de ataques de pânico pode indicar uma forma mais grave de Síndrome do Pânico ou a presença de outros transtornos de ansiedade.

Conclusão

A Síndrome do Pânico é um transtorno de ansiedade que pode ter um impacto profundo na qualidade de vida das pessoas afetadas. É fundamental reconhecer que experimentar crises de pânico diariamente não é considerado normal e sugere a presença de um problema de saúde mental que requer intervenção especializada. Compreender as complexidades dessa condição, reconhecer os principais sintomas e buscar tratamento adequado são passos essenciais para ajudar os indivíduos a gerenciar seus sintomas e recuperar o controle sobre suas vidas. 

Através do apoio profissional e do desenvolvimento de estratégias de enfrentamento eficazes, é possível encontrar alívio e aprender a lidar de forma mais adaptativa com os desafios impostos pela Síndrome do Pânico. Por isso, não hesite, agende já uma sessão.  

Consulte um psicólogo
Marisa de Abreu Alves | Psicóloga CRP 06/29493

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.

Artigos


Fique por dentro das últimas novidades em temas de psicologia e psicoterapia!

Transtorno de Personalidade Borderline sintomas

Transtorno de Personalidade Borderline: 9 sintomas comuns

Bipolaridade sintomas

Bipolaridade: sintomas, causas e impactos psicológicos

Bipolaridade

Bipolaridade: 5 fatos sobre crises de depressão e mania

Síndrome do pânico o que é

Síndrome do Pânico: o que é um ataque de pânico? Sinais e sintomas