Para agendar sua consulta
entre em contato:
(11) 3262-0621 / (11) 99787-4512.

Unidade I: Rua Bela Cintra, 968 (Paulista) - Unidade II: Rua Frei Caneca, 33 (Consolação) - (11) 3262-0621 - Envie Whatsapp (11) 99787-4512

4 maneiras que podem ajudar no Tratamento do Transtorno Obsessivo Compulsivo

Segundo Kaplan¹, eminente pesquisador dos EUA, a causa do TOC é determinada por diversos fatores e, em relação ao seu transtorno, há inúmeros medicamentos que podem ser indicados como potencialmente eficazes por um(a) médico(a) durante a administração da farmacoterapia.

Após diagnostico do TOC, a combinação de farmacoterapia e psicoterapia é usualmente sugerida. Ainda, segundo esse autor, estudos controlados descobriram que farmacoterapia e psicoterapia ou uma combinação de ambas são efetivas para a redução significativa dos sintomas dos pacientes com esta patologia.¹

Ensaios clínicos com inibidores seletivos de recaptação da serotonina (ISRS) sugerem que até 40% dos pacientes não respondem satisfatoriamente a farmacoterapia com um desses fármacos.²

Na psiquiatria define-se como resistência ao tratamento a ausência de resposta aos tratamentos de primeira linha recomendados para o TOC, que são os inibidores de recaptação de serotonina (IRS) e a terapia cognitiva-comportamental (TCC).²

O acompanhamento de um(a) psicólogo(a), é indicado para lidar com os aspectos sociais e psicológicos que a medicação, caso seja prescrita, não consegue atingir.

A partir da detecção da resistência aos métodos utilizados a psiquiatria pode sugerir técnicas alternativas como: administração parenteral de clomipramina (um antidepressivo tricíclico); estimulação magnética transcraniana; e até mesmo a neurocirurgia.²

Assim, resumidamente, podemos apontar as seguintes maneiras para tratar o TOC:

  • a psicoterapia (notadamente a TCC);
  • a farmacoterapia, com suas drogas de primeira e segunda linhas;
  • tratamentos não invasivos oferecidos pela medicina como a estimulação magnética transcraniana- para quadros resistentes aos tratamentos inicialmente recomendados;
  • e procedimentos que podem ou não ser invasivos, chamados de neurocirurgias: como a capsulotomia que pode ser realizada com termo lesão por radiofrequência ou por raios gama. A vantagem dessa técnica é ser menos agressiva ao indivíduo, não sendo necessário abrir o crânio. Lembrando que esses procedimentos podem ser indicados para aquelas pessoas resistentes a todos os tratamentos anteriores.³

Marisa de Abreu Alves

Psicóloga

CRP 06/29493

Agende sua consulta >> Ligue no (11) 3262-0621 ou clique aqui

1 KAPLAN, H. I. Compêndio de Psiquiatria: ciências do comportamento e psiquiatria clínica. Trad. Dayse Batista. 7. ed. Porto Alegre: Artmed, 1997.

2 SHAVITT, Roseli G. et al. Transtorno obsessivo-compulsivo resistente: conceito e estratégias de tratamento. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 23, p. 52-57, 2001.

3 Paiva, Raquel Reis de. Alterações na personalidade após procedimento de capsulotomia ventral anterior por raios gama em pacientes com transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) refratário. Diss. Universidade de São Paulo, 2017.

psi2

Escolha aqui seu Psicólogo - Quanto custa a psicoterapia? - Informações gerais
Consulta com psicólogo - Agende aqui

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.
Escolha aqui seu Psicólogo
Quanto custa a psicoterapia
Informações gerais
Consulta com psicólogo
Agende
aqui

AGENDE SUA CONSULTA

(11) 3262-0621 / Envie Whatsapp (11) 99787-4512

Unidade I

Rua Bela Cintra, 968
(Av. Paulista)

Unidade II

Rua Frei Caneca, 33
Centro - SP