Unidade I: Rua Bela Cintra, 968 (Av. Paulista) São Paulo / Unidade II: Rua Frei Caneca, 33 - Centro, São Paulo / Fone central: (11) 3262-0621

Clinica de psicologia

AddThis Social Bookmark Button
Esta clínica de psicologia é composta por um grupo de psicólogos especialistas em: Terapia Cognitiva Comportamental; Psicanálise; Terapia Corporal e Bioenergética.
Escolha seu psicólogo
O transtorno psicológico é um sofrimento que pode ser superado. Uma etapa da terapia importantíssima da terapia é aquela onde a gente encontra as causas dos seus problemas de hoje, quais os esquemas, as crenças que você foi formando na sua mente, que coisas aconteceram para que estes esquemas se formassem. É claro que o estudo da primeira infância é fundamental nessa etapa, isso porque as bases dos seus problemas psicológicos são sempre os seus conteúdos mentais, que coisas aconteceram com você, e o mais importante, como sua mente foi sendo impregnada no decorrer da sua formação com estes esquemas.
O esquema é composto por idéias muito firmes que as pessoas tem. Começam se desenvolvendo na infância e continua sendo elaborada durante a vida da pessoa. São idéias, são certezas que as pessoas têm e que muitas vezes elas aceitam sem questionar. E muitas vezes esses esquemas trazem muito sofrimento, como por exemplo um esquema bem comum é aquele no qual você sente que as pessoas não estão disponíveis para você, que voce precisa de arrancar de alguém algum apoio, pois ele não lhe será oferecido tranqüilamente. Se você tiver esse conteúdo internalizado rigidamente dentro de você, isso vira um esquema e você acaba se boicotando, como por exemplo quando você não identifica as pessoas que estão aí te oferecendo a mão, simplesmente você não as vê, não vê porque isso não faz parte de sua realidade interna.
Vocês já ouviram falar que as pessoas são o que elas creditam que são? A explicação pra isso é a teoria do esquema. Quando você acredita muito em uma coisa você só dá a oportunidade de ver, de encontrar outras coisas que confirmem o que está em sua mente. Mas saiba. Esse não é o único lado. O outro lado também existe. A gente só precisa de encontrar o óculos certo pra conseguir ver, esse óculos que você vem usando tem um filtro que elimina muita coisa boa que está aí no mundo. Basta você enxergar.
Esquemas são crenças, são sentimentos importantes em relação a nós mesmos, em relação aos outros e que aceitamos sem perguntar se realmente está correto. Eles se auto preservam e são muito resistentes a mudanças, por exemplo, uma pessoa, quando criança desenvolve um esquema que a faz se sentir incompetente, ela não desafia esta crença, ela não pára pra se perguntar se ela é mesmo uma incompetente. Aí ela assume a postura de incompetente, e pode até tornar isso uma verdade. Ela faz coisas que pessoas incompetentes fazem, mesmo tendo muita capacidade, ela não realiza, não se mostra como competente por causa desse esquema.
O esquema habitualmente não se modifica sozinho, sem tratamento, mesmo um sucesso esmagador na vida de uma pessoa que acredita ser incompetente não é suficiente para romper o esquema. A pessoa está mergulhada no esquema. O esquema luta pra sobrevivência, é quase uma entidade dentro de você que parece ter vida própria, mas não tem entidade nenhuma, é a sua mente te pregando peças. E uma vez formado o esquema, nem sempre a pessoa tem percepção disso. Daí a importância em se ter outra pessoa nessa jornada contigo. Um olhar de fora, um olhar treinado, um profissional pra te dar a mão e identificar e desfazer cada um desses esquemas.
Uma coisa interessante é que os esquemas atuam de forma sutil, passam desapercebidos por muito tempo, mas quando acontece alguma coisa na sua vida que aciona o esquema, aí eles explodem. As emoções explodem. Nestes momentos é que as pessoas tem sentimentos muito negativos, sentem raiva, medo, angustia. Essa é a hora de se trabalhar esse esquema, é a hora de olhar pra ele de frente e descobrir que coisas são essas que estão aí te causando tanto sofrimento.
Existe uma teoria que se chama teoria da dissonância cognitiva, que diz que depois que você chega a uma conclusão a respeito de algo sobre você mesmo, ou sobre o mundo, sua mente luta para que isso continue como verdadeiro, mesmo que seja uma idéia que traz muito sofrimento, mesmo que esse pensamento não te faça nada bem, você se prende a essa idéia errada. Como por exemplo uma mulher que tem o esquema de rejeição, em sua infância ela se percebeu como pouco querida, talvez algo que ela tenha ouvido de alguém a fez pensar assim, talvez a atitude de alguém lhe deu a idéia de que ela foi rejeitada, o que pode acontecer na sua vida adulta é que ela acaba colocando na vida dela pessoas que a rejeitam sempre, isso se chama de manutenção do esquema, mesmo não sendo verdade você faz a coisa se tornar verdade quando você mesmo se coloca em relacionamentos com as piores pessoas possíveis, você está provando para você mesma que esse esquema que você tem dentro de você está certo, que você vai ser rejeitada pra sempre na sua vida.
Existem 5 grupos de esquemas principais. Na terapia identificamos cada um deles.
Os grupos de esquemas são:
1º desconexão e rejeição - Que acontece quando a pessoa passa por situações de dificuldade nas relações afetivas. Se sentiram abandonadas. Sentiram desconfiança. Vergonha. Isoladas, etc.
2º se chama autonomia e desempenho prejudicados , ocorre quando a pessoa não consegue sentir confiança nela mesma. Acontece com famílias superprotetoras, que de tanto proteger acabam fazendo com que a pessoa não desenvolva sua autonomia, aí ela se sente dependente, vulnerável.
3º se chama limites prejudicados , que é a dificuldade em seguir regras, respeitar o direitos dos outros. São pessoas que não tem autodisciplina.
4º chama-se orientação para o outro . Que é quando a pessoa se preocupa demais com o que ela pode fazer para agradar o outro, pode até se prejudicar mas faz tudo para atender aos outros. Ela mal pensa nela mesmo. É a pessoa que busca aprovação, busca reconhecimento. Normalmente essa pessoa vem de família que oferecia um amor condicional, o amor que a família tinha para oferecer era de cobrança. Algo do tipo... “só gosto de você se você for bonzinho”.. aí a criança cresce sendo “bonzinho com todo mundo, menos com ele mesmo.
5º e ultimo grupo se chama supervigilancia e inibição , que normalmente acontece quando uma pessoa recebeu uma educação muito rígida, muito repressora e a pessoa não pôde expressar suas idéias, seus pensamentos, seus sentimentos. É o tal do: “cala a boca que quem manda aqui sou eu”. E normalmente é desse grupo de pessoas que saem os perfeccionistas.

Clínica de psicologia composta psicólogos autônomos especialistas em: Terapia Cognitiva Comportamental; Psicanálise; Fenomenológica existencial, Orientação Profissional, Terapia de Casais e familia, Neuropsicologia - Avaliação neuropsicológica, Psicanálise Junguiana, Psicanálise Freudiana, Terapia Corporal e Bioenergética.

Horário de atendimento dos psicólogos:

2ª a 6ª feira: 7:00h às 21:00h

Sábados: 7:00h às 17:00h

Horário de atendimento da recepção - Fone: 11 3262-0621:

2ª a 6ª feira: 8:00h às 19:00h

Endereços:

- Unidade I: Rua Bela Cintra, 968 - A meia quadra da Av Paulista. Proximo ao Metrô Consolação. Em frente ao colégio São Luiz MAPA

- Unidade II: Rua Frei Caneca, 33 - Paralela à Rua Augusta. Proximo ao Centro e Higienópolis. A cinco quadras do Metrô Republica. MAPA

 

psicologo Escolha seu psicólogo clicando aqui

 

 

Como funciona  apsicoterapia

O transtorno psicológico é um sofrimento que pode ser superado. Uma etapa da terapia importantíssima da terapia é aquela onde a gente encontra as causas dos seus problemas de hoje, quais os esquemas, as crenças que você foi formando na sua mente, que coisas aconteceram para que estes esquemas se formassem. O estudo da primeira infância é fundamental nessa etapa, isso porque as bases dos seus problemas psicológicos são sempre os seus conteúdos mentais, que coisas aconteceram com você, e o mais importante, como sua mente foi sendo impregnada no decorrer da sua formação com estes esquemas. 
O esquema é composto por idéias muito firmes que as pessoas tem. Começam se desenvolvendo na infância e continua sendo elaborada durante a vida da pessoa. São idéias, são certezas que as pessoas têm e que muitas vezes elas aceitam sem questionar. E muitas vezes esses esquemas trazem muito sofrimento, como por exemplo um esquema bem comum é aquele no qual você sente que as pessoas não estão disponíveis para você, que voce precisa de arrancar de alguém algum apoio, pois ele não lhe será oferecido tranqüilamente. Se você tiver esse conteúdo internalizado rigidamente dentro de você, isso vira um esquema e você acaba se boicotando, como por exemplo quando você não identifica as pessoas que estão aí te oferecendo a mão, simplesmente você não as vê, não vê porque isso não faz parte de sua realidade interna. 
Vocês já ouviram falar que as pessoas são o que elas creditam que são? A explicação pra isso é a teoria do esquema. Quando você acredita muito em uma coisa você só dá a oportunidade de ver, de encontrar outras coisas que confirmem o que está em sua mente. Mas saiba. Esse não é o único lado. O outro lado também existe. A gente só precisa de encontrar o óculos certo pra conseguir ver, esse óculos que você vem usando tem um filtro que elimina muita coisa boa que está aí no mundo. Basta você enxergar. 
Esquemas são crenças, são sentimentos importantes em relação a nós mesmos, em relação aos outros e que aceitamos sem perguntar se realmente está correto. Eles se auto preservam e são muito resistentes a mudanças, por exemplo, uma pessoa, quando criança desenvolve um esquema que a faz se sentir incompetente, ela não desafia esta crença, ela não pára pra se perguntar se ela é mesmo uma incompetente. Aí ela assume a postura de incompetente, e pode até tornar isso uma verdade. Ela faz coisas que pessoas incompetentes fazem, mesmo tendo muita capacidade, ela não realiza, não se mostra como competente por causa desse esquema. 
O esquema habitualmente não se modifica sozinho, sem tratamento, mesmo um sucesso esmagador na vida de uma pessoa que acredita ser incompetente não é suficiente para romper o esquema. A pessoa está mergulhada no esquema. O esquema luta pra sobrevivência, é quase uma entidade dentro de você que parece ter vida própria, mas não tem entidade nenhuma, é a sua mente te pregando peças. E uma vez formado o esquema, nem sempre a pessoa tem percepção disso. Daí a importância em se ter outra pessoa nessa jornada contigo. Um olhar de fora, um olhar treinado, um profissional pra te dar a mão e identificar e desfazer cada um desses esquemas. 
Uma coisa interessante é que os esquemas atuam de forma sutil, passam desapercebidos por muito tempo, mas quando acontece alguma coisa na sua vida que aciona o esquema, aí eles explodem. As emoções explodem. Nestes momentos é que as pessoas tem sentimentos muito negativos, sentem raiva, medo, angustia. Essa é a hora de se trabalhar esse esquema, é a hora de olhar pra ele de frente e descobrir que coisas são essas que estão aí te causando tanto sofrimento. 
Existe uma teoria que se chama teoria da dissonância cognitiva, que diz que depois que você chega a uma conclusão a respeito de algo sobre você mesmo, ou sobre o mundo, sua mente luta para que isso continue como verdadeiro, mesmo que seja uma idéia que traz muito sofrimento, mesmo que esse pensamento não te faça nada bem, você se prende a essa idéia errada. Como por exemplo uma mulher que tem o esquema de rejeição, em sua infância ela se percebeu como pouco querida, talvez algo que ela tenha ouvido de alguém a fez pensar assim, talvez a atitude de alguém lhe deu a idéia de que ela foi rejeitada, o que pode acontecer na sua vida adulta é que ela acaba colocando na vida dela pessoas que a rejeitam sempre, isso se chama de manutenção do esquema, mesmo não sendo verdade você faz a coisa se tornar verdade quando você mesmo se coloca em relacionamentos com as piores pessoas possíveis, você está provando para você mesma que esse esquema que você tem dentro de você está certo, que você vai ser rejeitada pra sempre na sua vida. 
Existem 5 grupos de esquemas principais. Na terapia identificamos cada um deles. 
Os grupos de esquemas são: 
1º desconexão e rejeição - Que acontece quando a pessoa passa por situações de dificuldade nas relações afetivas. Se sentiram abandonadas. Sentiram desconfiança. Vergonha. Isoladas, etc. 
2º se chama autonomia e desempenho prejudicados , ocorre quando a pessoa não consegue sentir confiança nela mesma. Acontece com famílias superprotetoras, que de tanto proteger acabam fazendo com que a pessoa não desenvolva sua autonomia, aí ela se sente dependente, vulnerável. 
3º se chama limites prejudicados , que é a dificuldade em seguir regras, respeitar o direitos dos outros. São pessoas que não tem autodisciplina. 
4º chama-se orientação para o outro . Que é quando a pessoa se preocupa demais com o que ela pode fazer para agradar o outro, pode até se prejudicar mas faz tudo para atender aos outros. Ela mal pensa nela mesmo. É a pessoa que busca aprovação, busca reconhecimento. Normalmente essa pessoa vem de família que oferecia um amor condicional, o amor que a família tinha para oferecer era de cobrança. Algo do tipo... “só gosto de você se você for bonzinho”.. aí a criança cresce sendo “bonzinho com todo mundo, menos com ele mesmo. 
5º e ultimo grupo se chama supervigilancia e inibição , que normalmente acontece quando uma pessoa recebeu uma educação muito rígida, muito repressora e a pessoa não pôde expressar suas idéias, seus pensamentos, seus sentimentos. É o tal do: “cala a boca que quem manda aqui sou eu”. E normalmente é desse grupo de pessoas que saem os perfeccionistas.

agende sua comsulta Escolha aqui seu Psicologo
Quanto custa a psicoterapia e informações gerais


Consulta com psicólogo - Agende aqui


*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.

Dicas e Tratamentos

Agende uma Consulta

marcar_consulta

Cómo chegar

Unidade I: Rua Bela Cintra, 968, São Paulo ( Veja o mapa )

Unidade II: Rua Frei Caneca, 33, São Paulo ( Veja o mapa )

Fone central: (11) 3262-0621

Compartilhe!