Unidade I: Rua Bela Cintra, 968 (Av. Paulista) São Paulo / Unidade II: Rua Frei Caneca, 33 - Centro, São Paulo / Fone central: (11) 3262-0621

Psicossomática e Somatização

AddThis Social Bookmark Button
Doenças de fundo emocional são estudadas há muito tempo pela psicologia, a psicossomática é um tema fascinante e fala sobre a intercomunicação mente x corpo.
Muito se fala sobre o poder de nosso cérebro sobre a saúde e nos faz pensar: já que somos “poderosos” em criar doenças será que podemos aplicar este poder na cura das doenças? Seu cérebro pode ser o seu próprio médico?
Doença psicossomática e Somatização se referem a aspectos diferentes do mesmo ponto: a influência da mente sobre a saúde de nosso corpo.
Toda doença tem fundo emocional?
Não, mas existem correntes que defendem esta idéia. Creio ser um pouco exagerado considerar que toda vez que ficamos doentes teremos nossa cabeça como a responsável. Nosso corpo funciona independente de nosso pensamento e intenção, seu coração bate, seu sangue circula quer você queira ou não. A única ponta de verdade que consigo ver na afirmação de que toda doença tem fundo emocional é que toda pessoa angustiada, nervosa, preocupada, triste, irada, enfim com emoções negativas, terão seus sistemas imunológicos abalados pelo stress. Com o sofrimento emocional e psicológico seu corpo produz cortizol, o hormônio do stress e com a repetição desta descarga hormonal seu organismo vai ficando cada vez mais e mais debilitado a ponto ficar doente.
Mas o inverso é verdadeiro, ou seja, toda vez que sua saúde física estiver abalada você sofrerá conseqüências emocionais e psicológicas. Quando uma pessoa descobre que tem câncer ficará abalada emocional e psicologicamente. Se ela não tiver ajuda para se controlar emocionalmente poderá ter sua resistência prejudicada e interferir em sua recuperação. Por isso é muito importante o acompanhamento psicológico nos casos mais graves.
O que é Somatização
Quando alguém diz que a pessoa está somatizando está dizendo que esta pessoa apresenta sintomas físicos mesmo não havendo uma doença física - a causa destes sintomas é emocional.
Por exemplo, o caso da pessoa que sente taquicardia, o coração dispara e ela vai ao médico achando que está com problema no coração, chegando lá ela faz exames, e não acusando nada, o médico dispensa o paciente dizendo que ele está bem fisicamente. Esta taquicardia pode ser sintoma de pânico - síndrome do pânico. Isso é somatização. Os exames não acusam nada porque a pessoa não tem nada fisicamente, o sofrimento físico é um reflexo do sofrimento emocional, que está escondido. O correto nessa situação é que o médico encaminhe a pessoa para um tratamento com psicólogo. Só o psicólogo pode tratar e amenizar esse sofrimento, que apesar de estar se manifestando no corpo é essencialmente mental, é psicológico.   A ajuda deve ser feita a nível emocional.
Somatização é quando a pessoa apresenta sintomas cuja avaliação do médico não identifica qualquer problema orgânico, mas identifica uma causa psicológica, e o tratamento é feito com o psicólogo.
O que é Doença psicossomática
Quando usamos o termo “doença psicossomática” dizemos que a causa é psicológica, mas a pessoa apresenta alterações clínicas detectáveis por exames de laboratório, ou seja, o corpo da pessoa está tendo danos físicos - chamamos de doença psicossomática. É uma doença física, verdadeira mas com causa psicológica, ou seja, a doença apareceu no corpo, como uma alergia por exemplo. Neste caso a pessoa deve tratar tanto com o psicólogo como com o médico. Com o médico ela trata o corpo, e com o psicólogo trata a mente - a cabeça, as emoções.
Hipocondria
O hipocondríaco é o famoso maníaco por doenças. Injustamente condenado por “querer chamar a atenção”. O quadro onde a pessoa quer chamar atenção será explicado no próximo tópico. Na hipocondria a pessoa não “quer” ficar doente, na realidade ele tem um medo absurdo de doença, tem tanto medo, pensa tanto nisso que acaba vendo doença onde absolutamente não tem nada. Na realidade você torna mais perceptível tudo o que mantém em seus pensamentos, por exemplo, você acabou de decidir comprar um carro Pálio cor prata, saia na rua e verá carros Pálio na cor prata em cada esquina. Desta mesma forma se uma pessoa estiver muito preocupada com o mosquito da dengue verá mosquitos por todo lado, onde sempre estiveram, mas claro que não são mosquitos da dengue, mas a preocupação o fará avaliar um por um num desgaste emocional brutal.
Histérico ou Histriônico
Este sim quer chamar a atenção para si. Neste transtorno de personalidade a pessoa simplesmente se alimenta de atenção – “precisa” de que os outros lhe dêem atenção. Esta pessoa confunde tranqüilidade com rejeição, pois acredita que se as pessoas estão simplesmente em paz ao seu lado elas não estão gostando de sua companhia. Esta pessoa só se sente aceita e querida se for o centro das atenções e, não há nada melhor do que uma doença para receber atenção alheia. Sendo assim as doenças são inventadas intencionalmente como uma das formas de chamar atenção.
Há quem minta e diga que está doente sem ter nada?
Sim, na maioria das vezes para chamar atenção e receber cuidados médicos, outras vezes por pura compulsão de mentir sobre sua própria saúde. O nome é Síndrome de Munchausen. São pessoas que sofrem psiquiatricamente e tem como sintomas principais causar ou simular sintomas de doenças. Algumas vezes são mães que provocam sintomas em seus filhos e os levam aos hospitais para serem tratados – claro que isto é considerado abuso infantil. Acredita-se que 0,5 a 2% das pessoas que procuram atendimentos nos hospitais sofrem desta síndrome.   Esta pessoa chega a pesquisar detalhadamente as características e sintomas de uma determinada doença e passa a fingir ou provocar estes sintomas em si mesmo ou no próprio filho.
O corpo também afeta a mente
Uma doença física provoca sofrimento mental além do sofrimento orgânico. Uma pessoa que tenha uma doença que a debilite fisicamente, que a deixe afastada dos outros pode iniciar uma depressão por exemplo. Nestes casos deve receber tratamento médico e psicológico.
Isso significa que tratar um problema psicológico ajuda a tratar das doenças do corpo e também previne para que seu sofrimento mental não faça o corpo adoecer.
Doenças que não tem nada a ver com psicossomática
Câncer por exemplo. Por algum tempo fizeram muita maldade dizendo que quem tem câncer  “criou” esse câncer nele mesmo. Quer dizer que além de ter que tratar a doença, a pessoa com câncer ainda carregava a culpa por estar doente, isso é pura maldade com o doente.
Tuberculose também, já foi dito que um tipo x de personalidade provocava tuberculose. Uma pessoa romântica demais teria tuberculose - tudo bobagem. Não é assim que acontece. Mas é claro que as pessoas que sofrem com estas doenças merecem   devem ter acompanhamento psicológico para conseguirem forças e resistência para o tratamento.
Doenças de fundo emocional
Um tipo de problema que tem muito a ver com o psicológico (mas ainda não é 100%) é a infertilidade. Eu tenho certeza que você já ouviu a história de que alguém que queria muito engravidar e não conseguiu, foi só adotar uma criança que engravidou. Não é? O que aconteceu? Porque adotar uma criança facilita para que a mulher engravide? O que aconteceu é que ela reduz a ansiedade. Ela tranqüiliza. Se fizesse uma terapia, ela poderia também controlar essa ansiedade e engravidar. Ansiedade provoca infertilidade. Alias toda boa clínica de fertilização tem um psicólogo na equipe.
Toda doença, ou todo sintoma endócrino, cardiovascular, respiratório, gastrointestinal, imunológico, e de pele é o tipo de doença que se pode desconfiar de causa psicológica. Então, alergia, infecções, falta de ar, taquicardia, tudo isso pode ser doença psicossomática.
A terapia cognitiva comportamental é muito eficiente para esse trabalho, próxima a 100% de eficiência quando tratado com um profissional sério. É uma terapia breve, focada no problema e com resultados rápidos quanto às somatizações. O que é um grande alívio para quem está sofrendo agora.
O que provoca uma doença psicossomática?
Inabilidade social, dificuldade em expressar seus sentimentos e necessidades, angustia, medos, raiva, depressão, ansiedade, fobias, enfim, todo sofrimento emocional debilita a pessoa como um todo.
Há casos de pessoas que se trataram por anos com remédios para hipotiroidismo. Até que em psicoterapia descobre-se que esta pessoa se entregava muito mais do que recebia nos relacionamentos. Uma troca desigual. Se a pessoa mantiver essa “doação de si mesma” exagerada com o marido, família, amigos, todo mundo fará seu corpo adoecer.   Mas ao trabalhar estes pontos em psicoterapia aprenderá a controlar a agressão que sofrida e conseguirá controlar a doença, e o melhor, sem tomar remédio algum.
Doenças iniciadas por aflições psicológicas
Vão desde alergias, bulimia, infertilidade, infarto, diabetes e disfunções glandulares.
As aflições psicológicas podem ser os eventos significativos na infância, como separação da criança da mãe, ou porque a mãe teve que se mudar, ou por força do trabalho, os abusos que a criança sofreu, abusos verbais ou físicos, coisas fortes que foram ditas à criança, ou bater na criança.
Eventos estressantes, não só na infância, mas em qualquer fase da vida, morte de alguém próximo, mudança de trabalho, mudança de casa, ou insatisfação no trabalho, ou problemas com o marido, com o namorado, tudo isso pode estar desencadeando uma doença psicossomática. O corpo fica doente, e de início a pessoa não faz relação com estes problemas, acha que não tiveram nada a ver com a doença, mas tem relação sim.
Função do sintoma – A dor serve para alguma coisa?
O sofrimento mental fica lá guardadinho, você pensa que está esquecido, mas ele está lá agindo à surdina, e se você não trabalhar seu emocional, esse sofrimento pode encontrar uma forma de se manifestar, uma válvula de escape, que é o sintoma, que aos poucos vai fazendo seu corpo ficar doente. Todo sintoma tem a mesma função, te alertar de que alguma coisa não está indo bem, que você tem que tratar essa coisa.
A somatização também, ela está te chamando para você prestar atenção em você mesmo, e ver o que está errado na sua vida: Seu relacionamento com colegas? Seu casamento? Insatisfação no trabalho? Dificuldade nos estudos? Olhe para isso. Trate o que tem que ser tratado. Trate o emocional, porque o corpo só está chamando a sua atenção para que você veja que o psicológico não esta bem.
Muitas vezes, quando você procura um médico com uma somatização, alguém diz que é “frescura”. Se o médico disse que você não tem nada, sofre duplamente, porque você sente que tem alguma coisa mas não sabe o que é.
Doença psicossomática não é a doença da “mentirinha” é doença que o médico não conseguiu identificar a causa, então ele tende a te falar “Fique tranqüilo, está tudo bem” mas está tudo mal, você está com dor, com coceira, com a boca seca, coração pulando, dor de barriga, ta suando frio, como está tudo bem?
O médico está capacitado a identificar a doença emocional?
Infelizmente nem todo médico tem o preparo para encaminhar o paciente para o profissional correto, que é o psicólogo. Mas se eu conseguir ajudar a você, se eu conseguir te ajudar a identificar a doença emocional e lhe prestar a ajuda psicológica tão necessária eu já me sinto realizada. A psicoterapia trabalha mudanças positivas nas atitudes, muda a forma de pensar e de agir - o ajuda a parar de sofrer psicologicamente.
Seu cérebro pode ser seu médico mas, você precisa de um “piloto” para esse cérebro para que ele consiga dar o comando correto para sua mente. Para trabalhar estas e outras questões conte com o psicólogo.

A psicossomática é um tema fascinante e trata da intercomunicação mente x corpo.

Muito se fala sobre o poder de nosso cérebro sobre a saúde e nos faz pensar: "Já que somos “poderosos” em criar doenças será que podemos aplicar este poder na cura das doenças? Seu cérebro pode ser o seu próprio médico?"

Doença psicossomática e Somatização se referem a aspectos diferentes do mesmo ponto: a influência da mente sobre a saúde de nosso corpo.

Toda doença tem fundo emocional?

Não, mas existem correntes que defendem esta ideia. Creio ser um pouco exagerado considerar que toda vez que ficamos doentes teremos nossa cabeça como responsável. Nosso corpo funciona independente de nosso pensamento e intenção, por exemplo o coração bate, o sangue circula quer você queira ou não. A única ponta de verdade que consigo ver na afirmação de que toda doença tem fundo emocional é que toda pessoa angustiada, nervosa, preocupada, triste, irada, enfim com emoções negativas, poderão ter seus sistemas imunológicos abalados. Com o sofrimento emocional e psicológico nosso corpo pode produzir cortizol, o hormônio do stress e com a repetição desta descarga hormonal seu organismo pode ir ficando cada vez mais debilitado a ponto de adoecer. Mas o inverso também pode ser verdadeiro, ou seja, toda vez que sua saúde física estiver abalada você poderá sofrer conseqüências emocionais e psicológicas. Quando uma pessoa descobre que tem câncer poderá se abalar emocional e psicologicamente.

O que é Somatização?

Quando alguém diz que a pessoa está somatizando está dizendo que esta pessoa apresenta sintomas físicos mesmo não havendo uma doença física - a causa destes sintomas seria emocional. Por exemplo, o caso da pessoa que sente taquicardia, o coração dispara e ela vai ao médico achando que está com problema no coração, chegando lá ela faz exames, e não acusando nada, o médico dispensa o paciente dizendo que ele está bem fisicamente. Esta taquicardia pode ser sintoma de pânico - síndrome do pânico. Isso é somatização. Os exames não acusam nada porque a pessoa não tem nada fisicamente, o sofrimento físico é um reflexo do sofrimento emocional, que está escondido. O ideal nessa situação seria que o médico encaminhe a pessoa para um tratamento com psicólogo.

O que é Doença psicossomática?

Quando usamos o termo “doença psicossomática” dizemos que a causa é psicológica, mas a pessoa apresenta alterações clínicas detectáveis por exames de laboratório, ou seja, o corpo da pessoa está tendo danos físicos - chamamos de doença psicossomática. É uma doença física, verdadeira mas com causa psicológica, ou seja, a doença apareceu no corpo, como uma alergia por exemplo. Neste caso o ideal seria tratar tanto com o psicólogo como com o médico.

Hipocondria

Injustamente condenado por “querer chamar a atenção” pois eu percebo que na hipocondria a pessoa não “quer” ficar doente, na realidade ele tem medo absurdo de doença, tem tanto medo, pensa tanto nisso que acaba vendo doença onde absolutamente não tem nada.

Histérico ou Histriônico

Este sim quer chamar a atenção para si. Neste transtorno de personalidade a pessoa simplesmente se alimenta de atenção – “precisa” de que os outros lhe dêem atenção. Esta pessoa pode confundir tranqüilidade com rejeição, pois acredita que se as pessoas estão simplesmente em paz ao seu lado elas não estão gostando de sua companhia. Esta pessoa só se sente aceita e querida se for o centro das atenções e, não há nada melhor do que uma doença para receber atenção alheia. Sendo assim as doenças podem ser  inventadas intencionalmente como uma  forma de chamar atenção.

Há quem minta e diga que está doente sem ter nada?

Sim, é possível que algumas vezes para chamar atenção e receber cuidados médicos, outras vezes por pura compulsão de mentir sobre sua própria saúde. O nome é Síndrome de Munchausen. São pessoas que sofrem psiquiatricamente e tem como sintomas principais causar ou simular sintomas de doenças. Algumas vezes são mães que provocam sintomas em seus filhos e os levam aos hospitais para serem tratados.    Esta pessoa chega a pesquisar detalhadamente as características e sintomas de uma determinada doença e passa a fingir ou provocar estes sintomas em si mesmo ou no próprio filho.

O corpo também afeta a mente

Uma doença física provoca sofrimento mental além do sofrimento orgânico. Uma pessoa que tenha uma doença que a debilite fisicamente, que a deixe afastada dos outros pode iniciar uma depressão por exemplo. Nestes casos deve receber tratamento médico e psicológico.

O que provoca uma doença psicossomática?

Cada pessoa terá suas caracteristicas, podemos pensar em alguns exemplos: Inabilidade social, dificuldade em expressar seus sentimentos e necessidades, angustia, medos, raiva, depressão, ansiedade, fobias, enfim, todo sofrimento emocional debilita a pessoa como um todo.

Função do sintoma

– A dor serve para alguma coisa? O sofrimento pode encontrar uma forma de se manifestar, uma válvula de escape, que é o sintoma,  aos poucos pode fazer o corpo ficar doente. Todo sintoma a  função de alertar de que alguma coisa não está indo bem. A somatização seria como um chamado para  prestarmos atenção no que pode não estar indo bem. Seu relacionamento com colegas? Seu casamento? Insatisfação no trabalho? Dificuldade nos estudos? Muitas vezes, quando  procuramos um médico com uma somatização e ouvimos que não temos nada, podemos  sofrer duplamente, pois sentimos que temos alguma coisa mas não sabemos o que é.

 

 

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia  ou psicoterapia  oferecida por um psicólogo

Marisa de Abreu Alves Psicóloga - CRP 06/29493-5

 

 

agende sua comsulta Escolha aqui seu Psicologo
Quanto custa a psicoterapia e informações gerais


Consulta com psicólogo - Agende aqui


*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.

Tratamentos

Agende uma Consulta

marcar_consulta

Cómo chegar

Unidade I: Rua Bela Cintra, 968, São Paulo ( Veja o mapa )

Unidade II: Rua Frei Caneca, 33, São Paulo ( Veja o mapa )

Fone central: (11) 3262-0621

Compartilhe!