Unidade I: Rua Bela Cintra, 968 (Av. Paulista) São Paulo / Unidade II: Rua Frei Caneca, 33 - Centro, São Paulo / Fone central: (11) 3262-0621

Falta de animo e motivação

AddThis Social Bookmark Button
Falta de animo e motivação
Você é do tipo que acorda de manhã e não sabe por onde começar, alias nem sente vontade de sair da cama - não é por não saber o que fazer pois tem na cabeça tudo o que deve ser feito, mas não tem o menor animo para nada? Tudo parece sem graça e precisa de, literalmente, se arrastar para fazer qualquer coisa?
Porque tamanha falta de motivação?
Se você se sente desanimado por mais de seis meses e não consegue mudar mesmo que os amigos e familiares tentem oferecer passeios ou coisas que em outras épocas lhe dariam muita empolgação, você está em depressão.
A depressão piora quando não temos a sensação de que seremos bem sucedidos nas tarefas que "precisamos" fazer.
Vou explicar melhor: Nosso cérebro é constituído por uma região responsável pelas recompensas. Tudo o que a gente faz e tem boas recompensas teremos vontade de fazer de novo. O inverso também é verdadeiro, tudo o que fizermos que der resultados dolorosos não seremos mais impulsionados para atividades iguais ou parecidas.
Parece obvio, não? Tudo o que é bom desejaremos mais, o que for ruim nos afastaremos. Mas a grande subjetividade do ser humano complica tudo pois, muitas vezes nós não nos damos o direito de não gostar de alguma coisa e assim não temos a consciência do porque fugimos destas coisas. Por exemplo, você tem que limpar o armário, sabe que ter um armário limpo é muito bom, agradável e facilita para encontrar suas coisas, mas nada disso é suficiente para pular de alegria quando pensa em limpar armário? Porque, se teoricamente o resultado é positivo não deveríamos desejar a atividade? Não, porque no fundo você não foca o resultado final, ou seja, sua vida será facilitada ao encontrar cada objeto rapidamente em um armário limpo e organizado. Ao invés disso você foca no processo, ou seja no tempo que usará para limpar este armário e no trabalho que dará ao procurar panos de limpeza, pegar o balde água, etc.
Dei o exemplo da limpeza de armário, mas para entender o seu desanimo você pode colocar no lugar qualquer atividade: Ir à escola, ligar para os clientes, almoçar com amigos, comprar um presente, fazer academia, organizar uma pizza em casa, etc.
O cerebro da pessoa em depressão não consegue pensar em médio e longo prazo, não consegue nem imaginar a maravilhosa sensação de "missão cumprida" ao terminar um relatório para a empresa, ou outra tarefa qualquer.
A natureza tenta nos ajudar nisso, e podemos perceber essa ajuda na adrenalina que recebemos quando estamos correndo. Pense bem correr cansa, nos deixa suados e sujos então porque algumas pessoas simplesmente adora correr? Por causa da adrenalina que nosso cérebro produz quando corremos. É como se seu cérebro quisesse que você não parasse. Você já parou para pensar no porque de seu cérebro te incentivar a fazer certas coisas? A resposta está em nosso instinto de sobrevivência, em épocas remotas correr salvava vidas, um animal ou inimigo poderoso não poderiam ser enfrentado, teríamos que sair rápido do local, então nosso cérebro nos dá essa "mãozinha" oferecendo prazer nesta atividade, que de outra forma, seria muito chata.
Porque alguns perdem a capacidade de sentir prazer na vida?
Para uma grande maioria de pessoas é porque tiveram experiências destruidoras tão intensas que deixaram marcas tão profundas que parece que o cérebro "aprendeu" que não adianta e que não tem saída - eles serão vencidos, nunca vencedores.
Vou dar alguns exemplos. Pais, familiares ou colegas que abusaram do poder sobre as crianças, ou professores que não tiveram preparo suficiente para lidar com a natural criatividade das crianças acabam cerceando a livre expressão com a famosa frase "quem manda sou eu". Isso vai imprimindo no cérebro a informação de que os outros são sempre mais poderosos, mais importantes  e só lhe resta ficar num canto quietinho. Quando vão ver estão adultos e ainda funcionando conforme as informações destruidoras que um dia receberam.
Como vencer o desanimo e falta de motivação?
Identificar quais foram as informações destruidoras que seu cérebro imprimiu sem ao menos perceber que eram falsas mas que foram passadas por pessoas que tinham poder sobre você, é o primeiro passo. Não é uma tarefa fácil pois este conteúdo é algo que você tem em sua memória mais profunda, não é acessada no dia a dia, e mesmo que a identifique muitas vezes não associados estes acontecimentos do passado com os comportamentos e emoções atuais. Uma forma de conseguir isso é através do olhar treinado de uma pessoa que está fora desta dinâmica, ou seja um psicoterapeuta.
O segundo passo será a substituição desta informação destrutiva por outras, agora verdadeiras. Com certeza você terá sua via de volta e sua vontade de viver.

A  falta de animo e motivação é percebida quando passa a acordar de manhã sem saber por onde começar e sem vontade até mesmo para  sair da cama. Você sabe o que deve fazer  mas não tem animo nem para iniciar sua tarefas mais simples. Tudo parece sem graça e precisa de, literalmente, se arrastar para fazer qualquer coisa.

Falta motivação quando não há expectativas

Se você se sente desanimado por mais de seis meses e não consegue mudar mesmo que os amigos e familiares tentem oferecer passeios ou coisas que em outras épocas lhe dariam muita empolgação, é possível que você esteja em depressão. A depressão piora quando não temos a sensação de que seremos bem sucedidos nas tarefas que "precisamos" fazer.

Vou explicar melhor: Nosso cérebro é constituído por várias regiões e uma dela é responsável pelas recompensas. Tudo o que nos dá satisfação em realizar  teremos vontade de fazer de novo. O inverso também é verdadeiro, tudo o que fizermos que der resultados dolorosos não seremos mais impulsionados para atividades iguais ou parecidas.Parece obvio, não? Tudo o que é bom desejaremos mais, o que for ruim nos afastaremos.

A  subjetividade do ser humano complica tudo pois, muitas vezes nós não nos damos o direito de tomar consciência de que não gostamos de alguma coisa e assim não sabemos porque ficamos desanimados diante de algumas coisas. Por exemplo, você tem que limpar o armário, sabe que ter um armário limpo é muito bom, agradável e facilita para encontrar suas coisas, mas nada disso lhe provoca pulos de alegria quando pensa em limpar armário. Por que?  Se o resultado é positivo não deveríamos desejar a atividade? Não, porque no fundo você não foca o resultado final, ou seja, sua vida será facilitada ao encontrar cada objeto rapidamente em um armário limpo e organizado. Ao invés disso você foca no processo, ou seja no tempo que usará para limpar este armário e no trabalho que dará ao procurar panos de limpeza, pegar o balde água, etc.

Dei o exemplo da limpeza de armário, mas para entender o seu desanimo você pode colocar no lugar suas atividades: Ir à escola, ligar para os clientes, almoçar com amigos, comprar um presente, fazer academia, chamar amigos para uma pizza em casa, etc.

O cérebro da pessoa em depressão não consegue pensar a médio e longo prazo, não consegue nem imaginar a maravilhosa sensação de "missão cumprida" ao terminar um relatório para a empresa, ou outra tarefa qualquer. A natureza tenta nos ajudar  e podemos perceber essa ajuda na adrenalina que recebemos quando estamos correndo. Pense bem correr cansa, nos deixa suados e sujos então porque algumas pessoas simplesmente adoram correr? Por causa da adrenalina que nosso cérebro produz quando corremos. É como se seu cérebro quisesse que você não parasse. Você já parou para pensar no porque de seu cérebro te incentivar a fazer certas coisas? A resposta está em nosso instinto de sobrevivência, em épocas remotas correr salvava vidas, um animal ou inimigo poderoso não poderiam ser enfrentado, teríamos que sair rápido do local, então nosso cérebro nos dá essa "mãozinha" oferecendo prazer nesta atividade, que de outra forma, seria muito chata.

Alguns perdem a capacidade de sentir prazer pela vida

Para uma parte das pessoas a perda da capacidade de sentir prazer se deve a  experiências destruidoras tão intensas que deixaram marcas profundas, com isso parece que o cérebro "passa a pensar" que não adianta e que não tem saída - eles serão vencidos, nunca vencedores.

Vou dar alguns exemplos. Pais, familiares ou colegas que abusaram do poder sobre as crianças, ou professores que não tiveram preparo suficiente para lidar com a natural criatividade das crianças acabam cerceando a livre expressão com a famosa frase "quem manda sou eu". Isso vai imprimindo no cérebro a informação de que os outros são sempre mais poderosos, mais importantes  e só lhe resta ficar num canto quietinho. Quando vão ver estão adultos e ainda funcionando conforme as informações destruidoras que um dia receberam.

É possivel vencer o desanimo e falta de motivação

Identificar quais foram as informações destruidoras que seu cérebro imprimiu sem ao menos perceber que eram falsas pois foram transmitidas  por pessoas que tinham poder sobre você - este  é o primeiro passo. Pode não ser uma tarefa fácil pois este conteúdo é algo que você tem em sua memória mais profunda, não é acessada no dia a dia, e mesmo que a identifique muitas vezes não associados estes acontecimentos do passado com os comportamentos e emoções atuais. Uma forma de conseguir isso é através do olhar treinado de uma pessoa que está fora desta dinâmica, ou seja um psicoterapeuta. O segundo passo será a substituição desta informação destrutiva por outras, agora verdadeiras.

Você poderá ter sua via de volta e sua vontade de viver.

Mas lembre-se quando em depressão é possível que você não consiga sozinho realizar as mudanças cognitivas necessárias. O que descrevi acima são alguns passos da psicoterapia. Agende hoje mesmo um horário para você com um de nossos psicólogos.

Gostará de ler também:

depressãoDepressão

 

 

ajuda psicologicaAjuda psicológica

agende sua comsulta Escolha aqui seu Psicologo
Quanto custa a psicoterapia e informações gerais


Consulta com psicólogo - Agende aqui


*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.

Dicas e Tratamentos

Agende uma Consulta

marcar_consulta

Cómo chegar

Unidade I: Rua Bela Cintra, 968, São Paulo ( Veja o mapa )

Unidade II: Rua Frei Caneca, 33, São Paulo ( Veja o mapa )

Fone central: (11) 3262-0621

Compartilhe!