Unidade I: Rua Bela Cintra, 968 (Av. Paulista) São Paulo / Unidade II: Rua Frei Caneca, 33 - Centro, São Paulo / Fone central: (11) 3262-0621

O que é emoção?

AddThis Social Bookmark Button

 

emoçãoÉ a reposta instintiva que temos quando passamos pelas diversas situações de vida. Sem as emoções as pessoas não percebem significado nos acontecimentos.

A emoção nos motiva a agir. Por exemplo, você reclamará de um produto que lhe foi entregue com defeito se sentir um mínimo de indignação e raiva por isso. Você só estudará para um concurso se for capaz de sentir orgulho de suas conquistas.

Raiva, tristeza, medo e alegria fazem parte do grupo de nossas emoções fundamentais mas há uma grande lista de variáveis como por exemplo:

Medo intenso = pavor

Medo insuportável = pânico

Medo leve = apreensão

Medo moderado = preocupação

Medo constante = ansiedade

 

 

EMOÇÃO DESTRUTIVA

Nada nesta vida é essencialmente bom ou ruim, o que faz algo ser prejudicial é a desproporção, ou seja, “tudo o que é demais (ou de menos) faz mal” – já diria minha avó.

Um pouco de raiva, medo vai te proteger e ajudar a reagir na hora certa, mas muita raiva fará com que a outra pessoa reaja também com raiva e não lhe oferecerá o que é justo. Quando estas emoções são desproporcionais você terá reações inadequadas e ao contrário do que pensa não terá mais resultados se agir mais intensamente. Por exemplo: Você quer conquistar uma determinada pessoa, e para tal usa todas suas emoções irá comprar presentes, mandar bilhetes, convidar para sair. Mas se você for “intenso demais” vai agir como um perseguidor e assustará a pessoa.

 

 

VICIADO EM EMOÇÃO

O que poucos percebem é que emoção vicia. A adrenalina dos esportes explica porque muitas pessoas acabam com seu próprio corpo ao praticarem excessivamente atividades esportivas que deveriam ser saudáveis.

Como uma dose de emoção é muito gostosa – até mesmo as negativas, vai negar que há tantos filmes de terror, e filmes policiais com assassinatos à toa? As pessoas gostam de passar medo, susto, raiva, etc. Mexe conosco. Mas quando alguém leva uma vida vazia demais ela acaba contando apenas com estas emoções para conseguir se sentir vivo e passa a perseguir toda e qualquer mínima oportunidade para sentir algo dentro de si.

É por isso que tem aquelas pessoas que, a cada semana, querem casar com o rapaz (ou a moça) que acabou de conhecer. É por isso que tem gente que sai do carro e desfere ameaças ao veiculo que lhe deu uma leve fechada no transito.

Como psicóloga eu percebia isso muito claramente em meus pacientes com transtorno bipolar. Estas pessoas são muito intensas, ora alegria intensa, ora depressão intensa. É muito comum que suas famílias até resistam a sua melhora – impressionante! Mas apesar de virem ao consultório e colaborarem com o tratamento, acabam provocando reações nos pacientes quando estes apresentam melhoras e estão mais equilibrados – não gostam de verem a pessoa menos intensa, não veem que isso significa melhora.

Para muitos pacientes eu cheguei a sugerir técnicas para que aprendessem a gostar do “cinza”, pois estas pessoas se acostumaram a conviver apenas com as “cores fortes” da vida e não consideravam que vali a pena, e n]ao reconheciam, o valor da harmonia, da paz, do equilíbrio.

 

EMOÇÃO ATRAI

Uma das técnicas de conquista é oferecer situações com fortes emoções para conectar-se com as pessoas. Por exemplo, se você estiver paquerando uma pessoa melhorará suas chances de conquista se convida-lo para assistir a um filme que mobilize muitas emoções, ou leva-la a um lugar que ela goste muito, que lembre sua infância ou algo com muito significado para ela.

Como eu contava acima que os bipolares tem em seus familiares um costume e até um gosto em suas explosões emocionais, posso lhe contar que vi poucos pacientes com este quadro sem ter ao menos uma ou duas relações pessoas muito fortes.

 

EMOÇÃO FAZ BEM PARA MEMÓRIA

A emoção existe para memorizarmos fatos. Você se lembrará melhor das situações que foram envolvidas com maior carga emocional. Por exemplo, quem lembra do dia anterior da formatura? Ninguém, mas todos lembram do dia da sua própria formatura. Porque? Porque foi carregada de emoção, pessoas dando os parabéns, o nervoso se subir ao palco, pensamentos sobre o futuro, tudo isso deu o colorido certo para que este dia ficasse em sua memória.

Então uma dica: Quer ser lembrado? Ofereça emoções.

 

QUAL A CAUSA DAS EXPLOSÕES EMOCIONAIS

Cada explosão emocional, seja ela de raiva, tristeza, medo, etc, demonstra que um “gatilho” foi acionado. Algo foi visto, ouvido ou percebido que acionou lembranças negativas.

Alguns dizem “não suporto quando ele fala desse jeito comigo”, mas se você perguntar as pessoas próximas elas vão dizer que o jeito que esta pessoa fala não é nada de tão ruim. Então, porque alguns ficam transtornados com algumas coisas mas não afeta outros? Porque estes tem em sua história de vida vivências que as deixaram fragilizadas. Estas vivencias podem incluir um pai que foi abusivo, uma situação de vergonha na infância ou qualquer outra coisa que tenha deixado uma marca.

 

COMO SUPERAR AS EMOÇÕES?

A psicoterapia oferece oportunidades preciosas para reorganizar os pensamentos e as emoções. As vivencias que deixaram marcas podem ser melhor compreendidas, mesmo que não sejam perdoadas podem ser superadas de forma a não te mobilizar mais e te impulsionar a sentimentos tão desagradáveis e limitantes.

O autoconhecimento através da psicanálise ou da psicoterapia poderá proporcionar ferramentas internas para respostas harmoniosas às pessoas e situações que antes lhe tiravam do sério.

Gostará de ler também:

aprenda otimismoAprenda Otimismo em 3 passos

 

 

controle emocionalControle emocional

 

 

 

agende sua comsulta Escolha aqui seu Psicologo
Quanto custa a psicoterapia e informações gerais


Consulta com psicólogo - Agende aqui


*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.

Psicólogo Responde

Agende uma Consulta

marcar_consulta

Cómo chegar

Unidade I: Rua Bela Cintra, 968, São Paulo ( Veja o mapa )

Unidade II: Rua Frei Caneca, 33, São Paulo ( Veja o mapa )

Fone central: (11) 3262-0621

Compartilhe!