Entre em contato
(11) 3262-0621 / (11) 99787-4512.
Ou preencha o formulário abaixo

Unidade I: Rua Bela Cintra, 968 (Paulista) - Unidade II: Rua Frei Caneca, 33 (Consolação) - (11) 3262-0621 - Envie Whatsapp (11) 99787-4512

Timidez

Psicologos para tratar e diminuir timidezEntrevista cedida para Disney Babble

Por que algumas pessoas são tímidas

Não há causa única. Para alguns a causa pode ser situações vividas onde o relacionamento interpessoal possa ter sido prejudicado, para outros pode ser característica de personalidade, ou também podem ser tímidos pessoas que não tiveram oportunidade de treinar habilidades sociais.

A timidez é hereditária?

Pode ser, mas quando falamos de personalidade nos referimos a características que existem desde o nascimento, mas não necessariamente recebido do pai ou da mãe, seria simplesmente a forma como aquela pessoas tipicamente se comporta independente se os pais são tímidos ou não. Creio que timidez dos pais influencia mais no quesito ambiental, pois eles terão dificuldade em ensinar algo que não costumam fazer. Como a educação de uma criança tem fortes influencias dos exemplos que os pais oferecem, filho de tímidos teriam menos pessoas em quem se espelhar para copiar comportamentos extrovertidos.

Características da pessoa tímida

Cada tímido pode ter suas características próprias, mas de forma geral podemos encontrar: Dificuldade em expressar seus sentimentos e necessidades, medo de ser julgada, pavor em ser observada.

O que pode ajudar a melhorar a timidez

Cada pessoa terá sua necessidade específica, para alguns pode ser:

1- Respeitar a si mesmo. Entender que cada um tem seu jeito de ser, mas pode tentar mudar a si mesmo caso sua timidez esteja prejudicando em algum aspecto importante de sua vida como diminuição de oportunidades profissionais, falta de bons relacionamentos amorosos, falta e companhia para sair e se divertir, etc.

2- Dar-se o direito de avançar a cada dia um passo no caminho da superação da timidez. Estabeleçer pequenas metas como, por exemplo, cumprimentar o porteiro com um tom de voz mais alto, elogiar a roupa de uma colega de trabalho, etc.

3- Conversar com seus próprios pensamentos. Identificar qual pensamento pode estar por trás dos comportamentos introvertidos, como por exemplo, recusou o convite de tomar café com um colega de trabalho. Identifique o que lhe passou, intimamente, em sua cabeça que o levou a não ser mais expansiva neste momento, será que pensou que o colega só a convidou por educação?

4- Rebater os pensamentos limitantes. Por exemplo, quando percebeu que não aceitou um convite por considerar que a pessoa só convidou por educação rebata este pensamento com argumentos fortes como por exemplo: “E daí? Isso significa que a pessoa quer ser educada comigo, isto não e bom? Posso aproveitar a oportunidade e mostrar que o convite valeu apena.”

5- Escrever suas metas comportamentais. Colocar de forma bem clara como gostaria que seu comportamento fosse, como por exemplo: “Rir espontaneamente quando contarem uma piada”. Assim você conseguirá identificar qual comportamento deve desenvolver.

6- Imaginar cenas manifestando vários comportamentos extrovertidos. Assim seu cérebro começa a ser treinado a aceitar estes comportamentos como naturais.

7- Observar o que gostaria de receber das pessoas e dê a elas em primeiro lugar. Não ficar na expectativa de ser bem tratado para só depois tratar bem alguém, se percebe que gostaria que lhe oferecessem um bombom compre um bombom e ofereça a alguém.

8- Diminuir suas criticas em relação as outras pessoas. Normalmente o tímido teme criticas e como autodefesa se torna um critico, criando um circulo vicioso.

9- Caso não consiga sozinho lembre que existem profissionais que são especialistas no comportamento humano.

Agende sua consulta >> Ligue no (11) 3262-0621 ou clique aqui

TimidezEntrevista cedida para o portal UOL

Timidez desde a infância

- O que podemos apontar como principais causas da timidez em crianças?

Psicóloga: Podem ser 3 fatores – Genética, característica de personalidade ou ambiental.

A personalidade de cada um é o “jeitão” que a pessoa tem, não necessariamente genético, ou seja não seria necessário pais ou familiares tímidos para a criança ser tímida, ela seria tímida devido sua característica.

Os fatores ambientais se referem as oportunidades que a criança teve de aprendizado para ser mais ou menos espontânea.

- Timidez: nascemos com ela ou nos tornamos tímidos?

Psicóloga: Pode ser os dois. Uma pessoa pode ter a personalidade introvertida, pode ter adquirido geneticamente esta característica ou pode ter ocorrido situações que a tornaram tímida, como por exemplo foi reprimida e ensinada a ficar quieta, não foi incentivada a conquistar amigos, leva bronca cada vez que pretende contar coisas sobre si mesmo ou sobre o seu dia pois os pais consideram que ela está “atrapalhando”, ela se torna tímida. Pais que elogiam demais uma criança por ser obediente poderá incentivar a introversão da criança, pois a leitura que ela poderá fazer seria que “quanto mais quietinha eu ficar e não responder aos meus pais, mesmo que me sinta muito incomodada” mais eles gostarão de mim.

- As vezes na mesma família um irmão é tímido e o outro não. Como explicar?

Psicóloga: Por um lado a explicação poderia ser a mesma de porque um irmão nasceu com olho azul e outro não – a genética. Mas também não devemos esquecer os fatores ambientais e que por mais que os pais pensem que criam os filhos de forma idêntica cada um recebe informações em momentos diferentes e que podem causar impactos diferentes. Por exemplo: Se no momento do desenvolvimento interpessoal da criança os pais estão com mais problemas no trabalho podem não perceber que a criança está se tornando mais quietinha, talvez eles até agradeçam por ela “não dar trabalho”.

- Quais são as dificuldades que uma criança tímida enfrenta no dia a dia?

Psicóloga: A criança tímida pode perder oportunidades em relacionamentos, tanto com outras crianças como com adultos e, assim ter o seu aprendizado em relacionamentos interpessoais limitado. Essa criança poderá brincar menos, treinar menos sua resistência à frustração, pois talvez não se arrisque a falar e fazer certas coisas.

- Timidez causa sofrimento na criança?

Psicóloga: Pode causar em certas situações. Creio que faça parte da natureza do ser humano ter pessoas por perto, poder contar com pessoas, identificar em quem podem confiar. Uma criança tímida pode não se perceber inserida em um grupo, pode se sentir excluída de seu universo (crianças da mesma idade, estudando na mesma escola, com a mesma professora) ela pode considerar que as outras são “privilegiadas” e imaginar que deva ter algum defeito, pode passar a acusar-se por ser menos interessante para as outras pessoas, sem perceber que foi ela mesma que se excluiu.

- Qual é o papel do ambiente na vida de uma criança tímida?

Psicóloga: O ambiente pode ter muita influencia. Creio que em algumas situações pode ter mais importância do que genética e personalidade, pois mesmo nascendo tímida uma pessoa pode aprender habilidades sociais. Uma criança também pode desenvolver comportamento tímido, por exemplo se ela observa seus pais recusando convites para interações sociais (festas, reuniões, etc), pais que não convidam pessoas para frequentar sua casa, que não conversam muito entre si, que apresentam apenas respostas monossilábicas, que sorriem pouco e nunca riem de verdade, não demostram espontaneidade mas apenas comportamentos sóbrios e formais, tudo isso pode ensinar a criança a ser introvertida.

- Como decidir que hora a criança tímida deve ser encaminhada a um profissional que possa ajudá-la?

Psicóloga: Quando perceber que esta criança está sofrendo com sua timidez. Quando houver limitação no desenvolvimento e aproveitamento na escola.

- Para os pais: no dia a dia, como ajudar uma criança a se tornar mais desinibida?

Psicóloga: Cada criança terá uma necessidade diferente, para alguns casos pode ajudar incentivar que a criança faça escolhas, que roupa prefere, o que vai comer, etc. Mas sempre com o devido equilíbrio, não devemos ensinar que ele pode escolher pelas outras pessoas ou escolher sempre que roupa usar mesmo que faça escolhas inadequadas. Os pais devem ensinar que as regras sempre existirão. Não vale a pena formarmos crianças extrovertidas se outros aspectos forem prejudicados. Os pais podem mostrar que ter iniciativa é algo muito bom. Mostrar que ele pode convidar amigos a frequentarem sua casa, que ele pode bolar brincadeiras e sugerir atividades ao seu grupo – ensinando que nem sempre será atendido e que isso faz parte do jogo.

Pode-se elogiar a cada vez que a criança se mostrar adequadamente espontânea. Demonstrar interesse por suas atividades e histórias sobre seu dia. Ensinar a ter sua próprias opiniões – considerando que as opiniões dos outros também são válidas. Não proteger demais excluindo a criança de brincadeiras e atividades que envolvam outras pessoas. Não debochar da criança quando uma tentativa de exposição for mal sucedida. Por exemplo no teatro da escola, mas incentiva-la a continuar se aprimorando.

Agende sua consulta >> Ligue no (11) 3262-0621 ou clique aqui

psi2

Escolha aqui seu Psicólogo - Quanto custa a psicoterapia? - Informações gerais
Consulta com psicólogo - Agende aqui

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.
Escolha aqui seu Psicólogo
Quanto custa a psicoterapia
Informações gerais
Consulta com psicólogo
Agende
aqui

AGENDE SUA CONSULTA

(11) 3262-0621 / Envie Whatsapp (11) 99787-4512

Unidade I

Rua Bela Cintra, 968
(Av. Paulista)

Unidade II

Rua Frei Caneca, 33
Centro - SP